meio ambiente
Foto: iStock
- Publicidade -

Mudanças climáticas, desigualdade social, plástico por toda a parte, florestas derrubadas, guerras… As vezes fica difícil manter o otimismo em relação ao nosso futuro. Mas a verdade é que ainda podemos – e devemos – cuidar do planeta e de toda a vida que ele abriga. E com algumas escolhas e atitudes podemos ajudar a construir um futuro melhor para todos!

Sabemos que governos e empresas têm uma responsabilidade enorme no rumo que o mundo vai seguir. Mas além de cobrar e escolher bem nossos representantes e marcas, podemos também colocar em prática algumas mudanças necessárias. As escolhas individuais são uma parte da solução – e uma parte que está ao nosso alcance.

Nossas ações locais podem fazer a diferença. Com disposição para construir um futuro melhor, podemos mudar as coisas dentro da nossa casa, inspirar as pessoas próximas e fazer parte da solução. Separamos algumas atitudes possíveis para ajudar a transformar a nossa realidade!

- Publicidade -

1. Evite desperdícios

Tudo o que chega até você tem um preço. E este preço vai muito além do valor que você pagou. Cada produto consumiu recursos naturais para ser produzido, emitiu gases de efeito estufa durante sua fabricação e transporte e vai gerar resíduos depois que for usado. Então aproveite a máximo tudo o que tem. Isso vai poupar seu dinheiro e o meio ambiente!

2. Diga adeus ao plástico de uso único

plástico
Foto: Volodymyr Hryshchenko | Unsplash

Já parou para pensar que cada item de plástico que você usa vai ficar no planeta por séculos? Isso inclui os talheres de plástico, canudos, filme plástico e sacos de sanduíche que são usados por menos de um minuto. Então, faça uma troca inteligente: substitua plásticos descartáveis por itens reutilizáveis ​​e ecológicos: utensílios de bambu, canudos de metal, sacos de papel, garrafas e copos retornáveis, são ótimas opções. Montar um kit “lixo zero” pode ajudar a desviar o plástico dos aterros sanitários e dos oceanos. 

3. Escolha bem seu transporte

Caminhar e andar de bicicleta são hábitos que ajudam a manter seu corpo saudável e evitam a emissão de gases de efeito estufa. Quando não puder fazer isso, escolha o transporte público como ônibus e metrô. Se precisar usar o carro, dê ou peça carona. O transporte individual aumenta o tempo no trânsito, gera poluição e muitas vezes é uma opção mais cara e demorada para se deslocar.

4. Lave roupas com inteligência

Cada vez que a máquina de lavar roupa entra em funcionamento, ela pode usar até 20 galões de água, além de consumir energia elétrica. Então aproveite ao máximo este recurso lavando roupas apenas quando a carga da máquina estiver completa. Outra dica é não lavar roupas sem necessidade. Espere aquele moletom ou calça jeans ficarem realmente sujos antes da lavagem – você poupa suas roupas, seu dinheiro e recursos naturais.

lavar roupa
Foto: Pixabay

5. Libere suas tomadas

Pode não parecer, mas certos aparelhos eletrônicos, como carregadores de laptop, alto-falantes, consoles de jogos e impressoras, consomem eletricidade mesmo quando não estão sendo usados. Deixar estes dispositivos plugados na tomada é desnecessário. Então desconectar seus eletrônicos ou use um filtro de linha inteligente para desligar facilmente vários eletrônicos ao mesmo tempo. Se não está usando, não use eletricidade.

6. Cozinhe

Preparar a própria comida é um hábito positivo em vários aspectos: você escolhe os ingredientes que mais gosta e que te fazem bem, faz a quantidade necessária e evita desperdício, economiza dinheiro com pedidos de delivery e ainda pode curtir este momento, aprendendo receitas novas e se desligando da correria do dia a dia. Preparar as refeições com antecedência é uma dica importante. Reserve momentos da semana para cozinhar.

7. Repare, conserte, reforme

reparar
Foto: Neonbrand | Unsplash

Antes de jogar alguma coisa fora, veja se ela pode ser arrumada ou reaproveitada de alguma forma. É mais comum comprar itens novos do que consertar os antigos, mas o custo desta escolha normalmente é maior para você e para o planeta. Uma boa costureira ou um técnico de eletrônicos podem evitar compras desnecessárias. Já que gastou dinheiro e recursos naturais para ter seus produtos, use cada um o máximo de tempo que puder. 

8. Organize seu armário

Reserve um dia para organizar seu armário, separar o que não usa e fazer uma pilha de doações para quem precisa. Roupas, sapatos, jaquetas e acessórios em bom estado podem ser doados para instituições de caridade ou vendidos em lojas de segunda mão. O que você não usa pode ser usado por outras pessoas ou até mesmo te trazer alguma renda. Economia circular, solidariedade e minimalismo são escolhas sustentáveis!

9. Seja um influencer!

Ser um influencer não depende de muitos seguidores nas redes sociais. Você pode ser uma inspiração para as pessoas com quem convive, ser um ativista ambiental com conversas, bons exemplos, trocas de informações e dicas. Fale sobre a importância de cada um na construção de um futuro melhor!

10. Fiscalize seu lixo

etapas reciclagem
Foto: iStock

Veja quais são os resíduos que está gerando no seu dia a dia e se pergunte: de onde eles vêm e para onde vão? Veja se pode fazer escolhas que vão ajudar a diminuir o volume de resíduos, como trocar sacolinhas plásticas por sacolas retornáveis. E assuma a responsabilidade por dar o melhor destino ao “lixo” que produz: resíduos recicláveis devem voltar para a cadeia produtiva e resíduos orgânicos podem ser compostados.

11. Encontre inspiração

Dizem que é “do lado dos bons que a gente fica melhor”. E isso é verdade. Busque pessoas que fazem a diferença no mundo. Podem ser pessoas próximas ou aqueles que dedicam sua vida às causas ambientais. Sites, livros, documentários, lives nas redes sociais… busque fontes de inspiração te tragam bons exemplos e informação de qualidade.

12. Seja digital

A vida online ou digital já é uma realidade em vários momentos do nosso dia a dia. Pagamentos, notícias, ingressos para eventos, entregas e até cardápios em restaurantes já estão disponíveis por smartphones ou computadores. Além de mais práticas, estas alternativas eliminam o uso de papel, produto feito de celulose (ou seja, árvores). Sempre que puder opte por serviços, produtos e documentos digitais.

13. Doe seu tempo

voluntario
Foto: Divulgação | Sea Shepherd

Existem muitos projetos ambientais por aí. Seja o plantio de árvores na praça do seu bairro, limpeza de praias, implantação de coleta seletiva no condomínio, existem muitos trabalhos voluntários… ONGs e coletivos que trabalham pelo meio ambiente e pelo bem do próximo precisam de ajuda e engajamento. Se envolver nestas ações e ajudar como pode é uma maneira de fortalecer a atuação destas organizações, além de expandir seu círculo social e conhecer pessoas com propósitos parecidos com os seus. Colocar a “mão na massa” faz bem para você, para o meio ambiente e para as pessoas que precisam da sua ajuda.

14. Ajude quem ajuda

Além do trabalho voluntário, outra forma de apoiar causas e organizações com as quais você se identifica, é fazer uma doação em dinheiro. Sabemos que as dificuldades financeiras podem interromper trabalhos incríveis de ONGs e outras instituições. Pesquise quem está trabalhando por um mundo melhor e ajude com o que você puder. Nem sempre podemos atuar diretamente nas causas que defendemos ou estar nos locais onde a ajuda é necessária – apoiar quem faz isso é um jeito de ser parte da solução!

15. Olhe para o seu prato

A pecuária está relacionada a muitos casos de desmatamento ilegal, além de usar uma enorme quantidade de água e de terra em sua produção. A emissão de metano também é outro ponto a ser considerado quando pensamos na criação de gado para a produção de carne, leite e laticínios. Mudar a sua dieta é uma das maneiras de reduzir os impactos ambientais desta atividade.

Além de ajudar o meio ambiente, existem benefícios para a sua saúde relacionados a uma alimentação com mais ingredientes de origem vegetal. Se você não quer ou não consegue mudar totalmente sua dieta, pense em maneiras de reduzir o consumo de alimentos com um impacto ambiental negativo.

alimentação vegana
Foto: Daniela | Unsplash

16. Compre usados

Quer ajudar o meio ambiente e de quebra economizar um bom dinheiro? Na hora de fazer compras, procure opções de segunda mão. Existe produtos usados em excelente estado de conservação que podem durar por muitos e muitos anos. Brechós, lojas de móveis usados, revenda de eletrodomésticos e eletrônicos e aplicativos de troca e comércio de produtos de segunda mão são locais para se encontrar coisas bacanas, mais baratas e que não vão consumir mais recursos naturais na fabricação – porque já estão prontos, esperando para serem usados novamente!

17. Prefira produtores locais

Aquilo que é produzido perto de onde estamos percorre uma distância menor até chegar para a gente. Ou seja, neste trajeto menor, a emissão de gases de efeito estufa no transporte também é menor, o produto chega mais fresco e o desperdício também é menor. Além disso, consumir de produtores mais próximos te dá a chance de conhecer e avaliar melhor a maneira como estas pessoas ou empresas trabalham e, de quebra, fica mais fácil entrar em contato para pedir possíveis reparos ou até mesmo uma oferta personalizada. Incentivar a economia local é bom para você e para quem produz!

minimalismo dicas
Foto: iStock

18. Fortaleça quem merece

Para cada produto que vamos comprar existe um número enorme de marcas. Escolher aquelas que trabalham de acordo com o que acreditamos, fortalece quem também está querendo construir um futuro sustentável. Pesquise a origem e a cadeia produtiva dos produtos, escolhendo quem usa menos recursos naturais e gera menos impactos socioambientais – condições de trabalho justas entram nesta conta. A sua escolha de consumo diz muito sobre as suas escolhas para um mundo melhor.

Para te ajudar, existem alguns selos que reconhecem boas práticas: alimentos com certificação de padrões de bem-estar animal (selo Certified Humane); certificações em pescados garantem que sua origem não é da pesca predatória (selos MSC e ASC); alimentos orgânicos, aqueles cuja produção é livre de agrotóxicos, também podem ter certificações (selos produto orgânico do Brasil e IBD); a carne vermelha certificada quer dizer que sua produção não está vinculada ao desmatamento de novas áreas (busque por certificações como a Rainforest Alliance); produtos feitos de madeira certificada indicam que sua fonte é legal e sustentável (selo FSC ou certificações de manejo florestal, de cadeia de custódia ou de madeira controlada); e empresas que cumprem a lei e reciclam as embalagens que produzem (selo eureciclo).

19. Simplifique (menos é mais!)

Muitas das coisas que acreditamos ser uma necessidade, na verdade são impostas por um sistema que prioriza o consumo e não a felicidade. O último modelo de smartphone, a roupa da moda, o carro do ano… Tudo isso custa dinheiro, custa o tempo de vida que foi gasto para ganhar este dinheiro e tem um preço também para o meio ambiente: os recursos naturais usados para produzir e os resíduos gerados pelo uso e descarte de cada um destes produtos.

Antes de comprar pergunte: eu realmente preciso disso? Por que eu preciso disso? Se você está comprando para se sentir bem e não por uma necessidade prática real, pense que existem muitas coisas que podem fazer com que você se sinta bem, sem boleto e nota fiscal: o contato com quem a gente ama e com a natureza são dois exemplos poderosos!

felicidade
Foto: iStock

LEIA MAIS:

- Publicidade -