- Publicidade -

Como um pequeno casulo, a “Shell House” (Casa Concha) foi projetada para proteger seus moradores das intempéries. Seu inusitado formato curvilíneo é apenas parte da estratégia para alcançar este feito. 

Erguida em um refúgio montanhoso a uma hora de Tóquio – na cidade japonesa Karuizawa – a Casa Concha é elevada acima do solo para evitar que a umidade penetre. O sistema também preserva a drenabilidade e a dinâmica das raízes, uma vez que a construção está em meio às árvores. 

Foto: takeshi noguchi

Outro ponto de destaque é que os lados oeste e norte da casa estão fechados, enquanto os lados leste e sul estão abertos por uma enorme entrada envidraçada. Isso cria o formato de “concha”, que dá nome ao imóvel. O modelo cria proteção e ao mesmo tempo conexão com o ambiente circudante. A parte coberta possui mini janelas que permitem a entrada de iluminação natural. 

- Publicidade -
Foto: takeshi noguchi

A construção foi projetada de acordo com o design passivo, de forma a reduzir os gastos energéticos ao passo que aproveita as condições climáticas naturais para manter constantemente uma temperatura favorável. 

“A Shell House capta a luz do sol e seu calor no inverno, aproveitando as propriedades naturais da terra de armazenar calor e regular a umidade”, afirma o escritório Tono Mirai Architects. 

Foto: takeshi noguchi

A parede de terra é combinada ainda com isolamento de lã e envolta em telhas asfálticas. 

Foto: takeshi noguchi

Os métodos aplicados garantem que a casa seja capaz de se ajustar às variações climáticas – sejam os verões úmidos ou os invernos gelados. Não à toa, a obra foi classificada com 5 estrelas em eficiência energética no CASBEE, uma ferramenta que avalia edifícios e construções no Japão. 

Casa Concha

Foi mesclando técnicas tradicionais e contemporâneas que o arquiteto japonês Tono Mirai desenvolveu a Casa Concha.

A residência é construída com paredes de terra e madeira – presente na estrutura e nos móveis. A junção dos dois materiais, com acabamento impecável, criam um ambiente agradável e elegante. 

Fotos: takeshi noguchi

Para não gerar impactos negativos, toda a madeira usada é local e certificada com selo FSC. Pinho vermelho japonês, cipreste e cedro são exemplos de madeiras empregues na obra.

Foto: takeshi noguchi

A cúpula assimétrica é feita com sete vigas de madeira conectadas ao pilar principal, usando uma técnica tradicional de carpintaria japonesa que não utiliza pregos. “É uma arquitetura inspirada na maneira como os humanos nascem e retornam à terra. Os sete feixes que emergem da parede de terra e formam o telhado são uma expressão do ciclo de vida dos humanos e do universo”, afirmou o arquiteto Tono Mirai ao site Dwell.

Foto: takeshi noguchi

Respeitando o regulamento local, o volume da construção não ultrapassou 20% do terreno de 290 metros quadrados: a Casa Concha possui 38 m². O pequeno lar possui, internamente, paredes curvas que criam um efeito orgânico. A ideia ali foi “misturar-se totalmente na floresta circundante”. Poderia ser confuso, mas tudo é encaixado perfeitamente.

Fotos: takeshi noguchi

O espaço é dividido em dois níveis, sendo que a área inferior abriga a sala de estar, cozinha e banheiro e na área superior abriga o dormitório – uma espécie de quarto mezanino. O compacto lar é perfeito para sua finalidade: um abrigo de férias. 

Fotos: takeshi noguchi

A Casa Concha é como uma casca que envolve seus moradores. Uma “arquitetura que seja incomum, bonita e que não faça você se sentir velho no tempo” era o desejo do cliente que buscou Tono Mirai. O pedido foi certamente atendido.

Arquiteto da Terra

Tendo como foco o impacto mínimo no meio ambiente, o arquiteto japonês Tono Mirai já criou diversos projetos com base nas propriedades naturais da terra crua. Seu processo consiste em levar uma arquitetura integrada à paisagem e isso pode ser percebido tanto pelo uso de materiais naturais locais como pelo envolvimento de artesãos locais nas construções.

Foto: takeshi noguchi
Foto: takeshi noguchi

Para Tono Mirai, o universo é “como uma energia regeneradora, um movimento constante de criação e transformação do qual o ser humano também pode fazer parte, se o abordar com respeito”. Desta forma, ele combina técnicas ancestrais, design contemporâneo e sustentabilidade.

Foto: takeshi noguchi

LEIA TAMBÉM

- Publicidade -