Nobel Verde
Fotos: Divulgação
- Publicidade -

Anualmente, o Goldman Environmental Prize (Prêmio Ambiental Goldman) homenageia ativistas ambientais de todo o mundo. Também conhecida como “Nobel Verde”, a premiação acaba de revelar os vencedores da edição 2022.

O prêmio destaca a história de cidadãos comuns que estão arregaçando as mangas por um mundo melhor.  O Goldman Environmental Prize já premiou, por exemplo, a ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, na edição de 1996. 

Neste ano, o grupo é formado por sete ativistas, sendo eles dos cinco continentes: América, Europa, África, Ásia e Oceania. Veja como assistir à cerimônia de premiação, mais uma vez apresentada pela atriz e ativista climática Jane Fonda.   

- Publicidade -

Inspire-se com o trabalho de cada um dos vencedores do Nobel Verde no resumo abaixo. Ao clicar no nome deles, você terá mais detalhes (em inglês) sobre cada ativista:

Chima Williams (Nigéria | África) 

Nobel Verde
Foto: Goldman Environmental Prize

Após desastrosos derramamentos de óleo na Nigéria, a advogada ambiental Chima Williams trabalhou com duas comunidades para responsabilizar a Royal Dutch Shell pelos danos ambientais generalizados resultantes. 

Em 29 de janeiro de 2021, o Tribunal de Apelação de Haia decidiu que não apenas a subsidiária nigeriana da Royal Dutch Shell era responsável pelos derramamentos de óleo, mas, como controladora, a multinacional petrolífera também tinha a obrigação de evitar os derramamentos. 

Esta é a primeira vez que uma corporação transnacional holandesa é responsabilizada pelas violações de sua subsidiária em outro país, abrindo a Shell a ações legais de comunidades em toda a Nigéria devastadas pelo desrespeito da empresa à segurança ambiental.

Niwat Roykaew (Tailândia | Ásia)

Nobel Verde 2022
Foto: Goldman Environmental Prize

Em fevereiro de 2020, a defesa de Niwat Roykaew e da comunidade do Mekong resultou no encerramento do projeto de detonação das corredeiras do rio Mekong, liderado pela China, para aprofundar os canais de navegação para navios de carga.

A pesca, afluentes, pântanos e planícies de inundação do rio Mekong, rico em biodiversidade, são uma tábua de salvação vital para mais de 65 milhões de pessoas. Esta é a primeira vez que o governo tailandês cancela um projeto transfronteiriço por causa da destruição ambiental que causaria.

Marjan Minnesma (Holanda | Europa) 

Nobel Verde
Foto: Goldman Environmental Prize

Em uma vitória inovadora, Marjan Minnesma aproveitou a opinião pública e uma estratégia legal para garantir uma decisão bem-sucedida contra o governo holandês, exigindo que ele adotasse medidas preventivas específicas contra as mudanças climáticas. 

Em dezembro de 2019, a Suprema Corte holandesa decidiu que o governo tinha a obrigação legal de proteger seus cidadãos das mudanças climáticas e ordenou que, até o final de 2020, reduzisse as emissões de gases de efeito estufa em 25% abaixo dos níveis de 1990. 

A decisão da Suprema Corte da Holanda marca a primeira vez que os cidadãos conseguiram responsabilizar seu governo por sua falha em protegê-los das mudanças climáticas.

Julien Vincent (Austrália)

Nobel Verde 2022
Foto: Goldman Environmental Prize

Julien Vincent liderou uma campanha bem-sucedida para retirar o financiamento do carvão na Austrália, que é um grande exportador, culminando em compromissos dos quatro maiores bancos do país para encerrar o financiamento de projetos de carvão até 2030. 

Por causa do ativismo de Julien, as principais companhias de seguros da Austrália também concordaram em encerrar novos projetos de carvão. Sua organização produziu um cenário financeiro desafiador para a indústria de carvão australiana, um passo significativo para reduzir os combustíveis fósseis que aceleram as mudanças climáticas.

Nalleli Cobo (Estados Unidos | América do Norte)

Nobel Verde 2022
Foto: Goldman Environmental Prize

Aos 19 anos, Nalleli Cobo liderou uma coalizão para fechar permanentemente um local de perfuração de petróleo tóxico em sua comunidade em março de 2020 – um local de petróleo que causou sérios problemas de saúde para ela e outras pessoas. 

A organização contínua de sua comunidade contra a extração de petróleo urbana rendeu um grande movimento político tanto no Conselho Municipal de Los Angeles quanto no Conselho de Supervisores do Condado de Los Angeles, que votou por unanimidade para proibir a nova exploração de petróleo e eliminar gradualmente os locais existentes.

Alex Lucitante & Alexandra Narvaez (Equador | América do Sul e Central)

Nobel Verde 2022
Foto: Goldman Environmental Prize

Alex Lucitante e Alexandra Narvaez lideraram um movimento indígena para proteger o território ancestral de seu povo da mineração de ouro. Sua liderança resultou em uma vitória histórica em outubro de 2018, quando os tribunais equatorianos cancelaram 52 concessões ilegais de mineração de ouro, que foram concedidas ilegalmente sem o consentimento de sua comunidade Cofán. 

O sucesso legal da comunidade protege 79 mil acres de floresta tropical intocada e biodiversa nas cabeceiras do rio Aguarico, no Equador, que é sagrado para o povo Cofán.

LEIA TAMBÉM

- Publicidade -