Comitê da Rio+20 não se responsabiliza por CO2 de países participantes

A cada nova informação que surge sobre a Rio+20, mais o evento decepciona. O comitê organizador não compensará as emissões de gases do efeito estufa emitidas através das viagens aéreas pelos participantes da conferência.

A cada nova informação que surge sobre a Rio+20, mais o evento decepciona. O comitê organizador não compensará as emissões de gases do efeito estufa emitidas através das viagens aéreas pelos participantes da conferência.

Desta forma, fica a critério dos próprios países decidirem se neutralizarão as emissões geradas pelo transporte aéreo de suas delegações, ou seja, a principal fonte de emissão da Rio+20 pode não ser compensada. Uma viagem entre a Europa e o Brasil emite aproximadamente uma tonelada de CO2 equivalente.

 O órgão só se responsabilizará pelas emissões geradas no evento. De acordo com o ministro Laudemar Aguiar, secretário nacional da Rio+20, esta compensação poderá ser feita com créditos de carbono provenientes de projetos brasileiros reconhecidos pela ONU. Neste caso, os créditos seriam doados por empresas brasileiras, que não tiveram o nome divulgado.

Estima-se que cerca de cinco mil toneladas de CO2 sejam lançadas através do transporte terrestre oficial, do consumo de energia elétrica e de combustíveis e da geração de resíduos sólidos. Para entender melhor, esta média equivale às emissões de 714 pessoas durante um ano inteiro, considerando a média atual de sete toneladas per capita.

O comitê organizador afirma que não está negligenciando a questão. No entanto, a atitude do órgão não demonstra muito esforço para resolver esta questão. Por meio de sua assessoria de imprensa, os organizadores disseram que os participantes podem calcular as emissões das viagens. Para que isso seja possível, um aplicativo será disponibilizado a eles.

Com os dados em mãos, o comitê espera que os países também usem créditos de carbono de projetos brasileiros e desta forma neutralize seus impactos.

O secretário da Rio+20 afirma que mais de 176 países confirmaram presença, sendo que 102 serão representados pelos chefes de Estado ou de governo. Ao todo, são esperadas 38 mil pessoas por dia nos eventos. Com informações da Folha.

Redação CicloVivo