A “Década para os Desertos e a Luta contra a Desertificação”, essa foi a iniciativa lançada pela ONU, na última segunda-feira (16), em Fortaleza. A ação prevê esforços a serem realizados até 2020, para deter a desertificação, que é um fenômeno que coloca em risco a vida de um bilhão de pessoas, em todo o mundo.

O lançamento da iniciativa ocorreu durante a abertura da segunda Conferência Internacional sobre o Clima. O anúncio foi feito pelo secretário executivo da Convenção da ONU de Combate à Desertificação, Luc Gnacadja.

O secretário explicou que o objetivo da ação é reverter e prevenir a desertificação e degradação do solo. Para que seja possível alcançar esse ideal, a ONU prevê a criação de uma associação global e que a partir daí seja possível diminuir os efeitos das secas e reduzir a pobreza em regiões mais afetadas.

Conforme comunicado divulgado pela ONU, existem 3,6 bilhões de hectares de terras no mundo, que correm perigo de desertificação. Esse montante é equivalente a 25% da superfície terrestre, que abrigam um bilhão de pessoas. A cada ano 12 milhões de hectares de terra são destruídos, deixando de produzir 20 milhões de toneladas de grãos.

Os países em desenvolvimento são os mais afetados pela degradação e pelo processo de desertificação que ocorre em área de terras secas e semi-áridas.

Com informações da Agência EFE

+ O grave problema da desertificação do solo no Brasil

+ “Sahara Forest Project” um óasis no deserto

Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.