- Publicidade -

Passo a passo para fazer uma composteira com caixas de plástico

Com duas caixas de plástico você pode começar a compostar em casa, garantindo adubo e a destinação correta de resíduos orgânicos

composteira com caixas de plástico
Fotos: Cori Sears | The Spruce

A compostagem é uma prática que traz inúmeros benefícios. Destinar corretamente nossos resíduos orgânicos evita os impactos ambientais do envio deste material para os aterros, o que gera gases de efeito estufa no transporte e decomposição, gera um adubo da melhor qualidade para enriquecer o solo, garante que os resíduos recicláveis cheguem mais limpos para as cooperativas, aumentando seu valor agregado e, de quebra nos ajuda a repensar nossos hábitos alimentares e nos conecta novamente aos ciclos naturais.

- Publicidade -

Existem várias possibilidades para compostar nossos resíduos orgânicos, desde minhocários domésticos até a contratação de empresas que retiram nosso “lixo” em casa e levam o material para grandes pátios de compostagem, como a Planta Feliz Adubo.

Se você optar pela compostagem doméstica, pode construir a sua própria composteira com caixas grandes de plástico e aprender como é esse processo colocando literalmente, a mão na massa. A opção abaixo é para aquelas pessoas que não tem muito espaço, mas mesmo assim querem gerenciar todo o processo de reciclagem de resíduos orgânicos – o produto final é um poderoso enriquecedor de solos para a suas plantas e para doar para amigos e família.

O projeto da composteira é simples e a geração do composto levará cerca de 3 meses. Bora começar?

Curitiba composteira
Mais compostagem, menos rejeitos para os aterros sanitários. Foto: Hully Paiva | SMCS

O que você vai precisar?

Equipamentos/Ferramentas

- Publicidade -
  • Furadeira com brocas afiadas

Materiais

  • 2 caixas grandes de plástico (mínimo de 70 litros), idênticas e encaixáveis.
  • Tampa sob medida para uma das caixas
  • Resíduos orgânicos (casca de frutas, talos de verduras, restos de comida…)
  • Folhas secas, restos de poda, serragem, papel ou papelão picados
  • Tela de arame (opcional)

Passo a passo para montar sua composteira

composteira caixas de plástico
Foto: Cori Sears | The Spruce

1. Escolha as caixas de plástico

Como a composteira vai fazer parte da sua casa e da sua rotina, escolha caixas de plástico de no mínimo 70 litros que tenham uma boa qualidade, para durar bastante, e que tenham uma cor e visual que te agradem. Você vai precisar de uma tampa sob medida para uma das caixas. A outra vai servir para coletar o líquido que sair desta primeira caixa – popularmente chamado de “chorume” mas que na verdade é um líquido percolado super rico em matéria orgânica que pode ser usado como fertilizante.

2. Prepare as caixas

A compostagem precisa de oxigênio para acontecer, isso porque a decomposição do material orgânico é realizada por microrganismos que precisam de ar para sobreviver e fazer o “seu trabalho” dentro da composteira.

- Publicidade -

Para garantir que o ar vai circular na composteira, use a furadeira para fazer furos nas caixas com uma distância entre eles de 2,5 a 5 centímetros, perfurando todos os lados dos recipientes. Além disso, faça furos na parte de baixo da caixa superior. Caso os furos que você faça sejam muito grandes, use a tela para forrar as caixas e evitar a aproximação de roedores e outros vetores como baratas.

composteira caixas de plástico
Foto: Cori Sears | The Spruce

3. Encaixando as caixas

O próximo passo é encaixar as caixas, deixando a caixa com mais furos e furos na parte de baixo por dentro da outra. Esta caixa deve uma tampa sob medida. A outra caixa, que vai ficar por fora, não precisa ter tantos furos e principalmente não deve ter furos na área inferior e no fundo.

4. Onde colocar a composteira

Para facilitar a sua vida é importante que a composteira esteja perto da cozinha, onde são gerados os resíduos orgânicos. Outra opção, para quem tem horta, é escolher um espaço próximo aos canteiros, para que seja mais fácil levar o adubo até lá. Quem tem um quintal e vai usar folhas secas ou restos de poda para compostar, pode escolher um local que seja prático na hora de usar estes materiais.

Em qualquer um dos casos, é importante evitar temperaturas muito altas ou muito baixas. O ideal é um local ventilado e à sombra. Varandas, áreas de serviço e espaço externos cobertos são as escolhas mais comuns.

composteira caixas de plástico
Foto: Cori Sears | The Spruce

5. Enchendo as caixas

O material úmido, composto pelos restos de comida, borra de café, cascas de frutas, cascas de ovo lavadas, ou talos e folhas que não foram usados para cozinhar, devem ser intercalados com o material seco – serragem, folhas secas, restos de poda, papel e papelão picados. Uma proporção equilibrada normalmente é de uma parte de material úmido para duas partes de material seco.

Quanto menor estiverem os pedaços do que for colocado na composteira, mais rápida será a decomposição.

composteira caixas de plástico
Foto: Cori Sears | The Spruce

6. Manutenção

Para garantir que o ar circule na composteira e que os microrganismos consigam fazer a decomposição, é necessário aerar o material. Ou seja, além dos furos laterais, é preciso um trabalho extra que é muito simples: revolver o material, sempre cobrindo com material seco depois ou fazer pequenos “furos” nos resíduos com um pedaço de ferro ou pau que chegue até o fundo da caixa.

Se o conteúdo permanecer muito úmido ou fedorento, coloque mais folhas de picadas ou serragem. Se o conteúdo estiver muito seco, use um borrifador para umedecê-lo. Ou adicione mais resíduos orgânicos.

Com a decomposição correta, o material da composteira vai aquecer, o que elimina possíveis parasitas. Por isso não se assuste com o calor, ele é um sinal de que as coisas estão indo bem na sua composteira.

Noções básicas de compostagem

composteira caixas de plástico
Foto: Cori Sears | The Spruce

A situação ideal para uma boa compostagem é muitas vezes descrita como uma mistura de materiais orgânicos secos e úmidos, em condições onde haja uma boa quantidade de ar e água suficiente para que a mistura fique apenas húmida mas não encharcada. O composto gera calor naturalmente, mas não deve haver nenhum odor desagradável. Se o seu composto estiver quente, é um bom sinal de que a compostagem está ocorrendo de forma eficiente. Mas se o material na sua lixeira estiver frio ao toque, provavelmente precisará de um pouco mais de umidade.

Por outro lado, uma composteira que emite mau cheiro provavelmente está muito úmida, o que pode ser remediado adicionando alguns materiais secos, como folhas secas ou serragem, ou mexendo o conteúdo da caixa para misturar mais ar.

composteira com caixas de plástico
Foto: Cori Sears | The Spruce

Muitos restos de cozinha podem ser compostados, mas não adicione carne, ossos, laticínios, ovos inteiros, gordura ou outros restos de origem animal. Estes podem desenvolver patógenos à medida que se decompõem na caixa de compostagem, causando odores que atraem roedores e outras pragas. Pelo mesmo motivo, nunca adicione resíduos fezes de animais de estimação.

Para virar o composto facilmente, agite a lixeira a cada um ou três dias. Isso se mistura ao ar e distribui a umidade, criando o ambiente perfeito para a decomposição dos materiais.

7. Aproveite o adubo!

Depois de uns três meses dentro da composteira, o material orgânico que você depositou lá vai se transformar em um poderoso adubo orgânico. A maneira mais fácil de colher o composto é retirar o material da caixa e peneirar, com uma peneira grande de jardinagem. Quaisquer pedaços grandes que ainda precisem se decompor podem voltar para a caixa.

O adubo peneirado pode ser colocado em outro recipiente e depois ser usado no jardim, vasos e horta.

composteira caixas de plástico
Foto: Cori Sears | The Spruce

Com informações de The Spruce