Nas próximas duas semanas, o governo da Alemanha promove em Berlim o encontro entre jovens cientistas com a elite alemã de pesquisadores das áreas da ciência e da sustentabilidade. O intercâmbio de ideias é base para futuras cooperações com o país, por meio da competição Green Talents que é realizada todos os anos pelo Ministério Federal da Educação e Pesquisa da Alemanha (BMBF), representado pela Ministra Anja Karliczek.

Um júri formado por renomados especialistas alemães selecionou para esta edição 25 cientistas promissores entre 837 candidatos de mais de 97 países. Pela primeira vez na competição, Camarões, Líbano, Marrocos e Papua Nova Guiné estão entre os países de origem dos vencedores -, que encaminharam suas iniciativas para o concurso em maio deste ano.

Entre os brasileiros, a pesquisadora de Vitória (ES), Luisa Cortat Simonetti Gonçalves Coutinho, 31 anos, doutoranda dupla titulação em Direitos e Garantias Fundamentais pela Faculdade de Direito de Vitória (FDV) e em Direito Internacional Ambiental, pela Universidade de Maastricht (Holanda), destacou-se na competição com um projeto de pesquisa que analiza iniciativas legislativas, privadas e corporativas, para reduzir a poluição plástica nos oceanos. Luísa analisou treze instrumentos e protocolos internacionais já existentes – tanto das chamadas hard law quanto das chamadas soft law. Sua análise mostra que nenhum deles está abordando especificamente o problema, mas aponta vários aspectos essenciais a serem considerados pelos Estados ao projetar uma solução sustentável que enfrente a poluição plástica nas águas internacionais. Além disso, fez estudos de casos de iniciativas privadas, de ONGs e empresas, por exemplo, que lidam com poluição por plásticos, concentrando-se no aspecto da responsabilidade social corporativa. Ela pretende derivar princípios para uma combinação de políticas apropriada, uma estrutura teórica ideal para soluções ambientais e que levem em consideração as interações entre governo, sociedade civil e empresas. O objetivo final é auxiliar na construção de uma regulamentação ambiental eficaz.

O projeto de pesquisa do florianopolitano Marcelo Menezes Morato, 24 anos, tem foco no controle e na supervisão de microrredes renováveis baseadas na Indústria da Cana-de-Açúcar brasileira. Seu trabalho de pesquisa investigou como esta indústria poderia constituir uma alternativa viável para o futuro da geração de energia no Brasil, por meio do uso de seus bio-resíduos (bagaço, palhiço, vinhaça) combinados a sistemas renováveis externos (painéis fotovoltáicos e turbinas eólicas). Esta ideia garantiria aumento da eficiência e da sustentabilidade destes sistemas e poderia servir como planejamento estratégico para o desenvolvimento do País, dado a proporção da indústria sucroalcooeira. Doutorando em Engenharia de Controle e Automação pela Universidade Federal de Santa Catarina, Marcelo impressionou a bancada alemã de especialistas com sua abordagem prática para tornar a integração de fontes de energia renovável possível e menos propensa a erros. A Engenharia de Controle e Automação é de grande importância para a as matrizes energéticas do futuro, com fontes de energia diversificadas, pois projeta os sistemas de integração e coordenação destes geradores múltiplos.

Em sua 10ª edição, o concurso Green Talents oferece uma plataforma para que jovens talentos da pesquisa de todo o mundo compartilhem os seus projetos nas áreas da ciência e desenvolvimento sustentável. As iniciativas são reconhecidas pela capacidade inovadora de tornar a sociedade mais sustentável, abrangendo diversas áreas da economia com ideias criativas capazes de responder as questões atuais mais urgentes sobre proteção ambiental e sustentabilidade. Essas questões, bem como os desafios enfrentados pelo meio ambiente em geral, exigem cooperação científica internacional.

O prêmio é uma das disputadas vagas para o “Green Talents – International Forum for High Potentials in Sustainable Development”. Os vencedores contam com duas semanas de interação com importantes especialistas em algumas das mais renomadas instituições e empresas de pesquisa do mundo, incluindo o Centro de Pesquisa de Inteligência Artificial da Alemanha, em Saarbrücken, o Instituto para Segurança Humana e Ambiental da Universidade das Nações Unidas, em Bonn, e o Instituto Wuppertal para o Clima, Meio Ambiente e Energia. A Germanwatch e. V., organização não governamental sediada em Bonn, também faz parte da agenda, além da empresa Covestro AG, que irá se apresentar na K 2019, feira de comércio de plásticos e borracha a ser realizada em Düsseldorf. Além disso, os pesquisadores poderão trocar ideias com importantes especialistas alemães em reuniões individuais para obter uma visão aprofundada do sistema de inovação do país, de forma que eles aprendam sobre as suas abordagens e tecnologias de última geração. Eles também ganham acesso exclusivo à Rede Green Talents”, composta por alunos de diversos países que atuam no segmento de desenvolvimento sustentável.

O vínculo e o intercâmbio de ideias entre os mais inovadores participantes da comunidade científica é base para futuras cooperações. Estas atividades têm o respaldo do convite para retornarem à Alemanha em 2020 para uma estadia de pesquisa de três meses, totalmente financiada pelo governo alemão na instituição que escolherem.

Os 25 ganhadores serão homenageados em cerimônia de premiação no dia 24 de outubro no BMBF – Ministério Federal da Educação e Pesquisa (Kapelle-Ufer 1, 10117), em Berlim.