Concerto para o Bioceno, este é o nome da peça escolhida para a reabertura do tradicional Liceu de Barcelona. Um quartet de cordas tocou a obra de Giacomo Puccini’s, “Chrysanthemum”, agradecendo a plateia com reverências, antes e depois do espetáculo.

E a plateia foi realmente especial. Foram 2.292 plantas ocupando as cadeiras do teatro. “A natureza está ocupando os espaços que tomamos dela”, explica o artista que criou o conceit para este espetáculo, Eugenio Ampudio. “Podemos demonstrar nossa empatia começando pela arte e pela música e convidar a natureza para ocupar um belo teatro”.

Os humanos não foram excluídos e puderam acompanhar a apresentação musical ao vivo, pelas redes sociais.

Agradecimento verde

Mesmo depois do término do espetáculos, a natureza vai continuar como como protagonista. Cada uma das quase 2,3 mil plantas vai ser doadas a profissionais da área de saúde que trabalharam na linha de frente de combate ao novo coronavírus.

A Espanha foi um dos países europeus mais afetados pelo novo coronavirus, com mais de 28 mil mortes. Com o fim da quarentena, teatros e cinemas podem ser reabertos, com limitações de público e medidas de segurança.

“O Liceu é um dos maiores e mais importantes teatros do mundo, e este é um ato bastante simbólico de boas vindas que expressa o valor das artes, da música e da natureza, sinalizando o retorno a suas atividades”, afirmou a direção da casa em um comunicado.

O Concerto para o Bioceno marcou a abertura oficial da temporada de espetáculos do Liceu de Barcelona de 2020-2021.

Diálogos com a natureza

O concerto ainda reforçou a intenção do diretor artístico do teatro, Victor Garcia de Gomar, de expandir o diálogo com as artes visuais. A apresentação foi uma colaboração entre diferentes instituições. “Depois de um período de dor e dificuldades, esta colaboração nos oferece uma perspectiva diferente do nosso retorno, uma perspectiva que nos aproxima de algo essencial que é nossa relação com a natureza”, afirmaram os idealizadores.