Vidro fotovoltaico pode transformar edifícios em usinas solares
15 de Fevereiro de 2013 • Atualizado às 17h00

Uma empresa britânica abrigada na Universidade de Oxford desenvolveu um vidro transparente e colorido que pode substituir os painéis solares. Em vez de ser instalado na parte superior das construções, o vidro tem baixos custos e pode gerar eletricidade na própria fachada dos edifícios.

O produto desenvolvido pela Oxford Photovoltaics é bem mais barato do que os painéis solares convencionais. De acordo com os criadores, a nova tecnologia custará 300 reais a mais do que os vidros comuns utilizados pela construção civil.

Henry Snaith, coordenador do projeto, informou que a empresa realizou um aporte de dois milhões de libras para que a tecnologia entre no mercado o mais rápido possível. Assim que o produto começar a ser comercializado, os proprietários de edifícios economizarão com a geração de energia limpa, uma vez que, atualmente, as placas solares têm preço médio de três mil reais.

O novo vidro foi criado por uma equipe de 16 cientistas que queriam aprimorar a geração de energia fotovoltaica de maneira sustentável. Eles eliminaram os altos custos, o uso de materiais tóxicos ao longo da produção e, ainda, aumentaram a durabilidade do material. Assim, os pesquisadores “imprimem” as células solares no vidro, como em um processo de serigrafia.

A equipe de Snaith também desenvolveu um método específico de instalação, chamado de BIPV (Building Integrated Photovoltaics). De acordo com os criadores, através desta tecnologia, será possível transformar os edifícios em verdadeiras usinas solares. Com informações da Exame.

Redação CicloVivo



Faça você mesmo

institucional capa | quem somos | cadastre-se | sugestão de pauta | como anunciar | contato
canais meio ambiente | tecnologia | arquitetura | mídia e negócios | desenvolvimento | vida sustentável | cidadania | bike | faça você mesmo | vídeos

CicloVivo - Plantando notícias | Todos direitos reservados 2014.