Inicio Desenvolvimento Santiago, Chile, deve ter o primeiro metrô do mundo movido a energia solar

Desenvolvimento

Santiago, Chile, deve ter o primeiro metrô do mundo movido a energia solar

Para gerar a energia necessária, o projeto contará com uma usina solar exclusiva de alta eficiência.

13 de junho de 2016 • Atualizado às 14 : 36
Santiago, Chile, deve ter o primeiro metrô do mundo movido a energia solar

O sistema de transporte público, que atende a 2,2 milhões de passageiros diariamente, pode se tornar ainda mais sustentável. | Foto: Reprodução

8.12K
0

O metrô de Santiago, no Chile, pode ser o primeiro do mundo abastecido a partir de energia solar. O projeto foi anunciado recentemente pela empresa SunPower, uma das patrocinadoras da ideia.

O acordo inclui o fornecimento de 300 GWk por ano de energia renovável obtida a partir do sol à companhia de metrô de Santiago. Com este projeto, o sistema de transporte público, que atende a 2,2 milhões de passageiros diariamente, pode se tornar ainda mais sustentável.

Para gerar esse montante de energia, a SunPower conta com o apoio da Total Energy, uma empresa parceira na construção de uma usina solar de alta eficiência. O projeto El Pelícano deve produzir sozinho cem megawatts de energia. A construção começa ainda neste ano e está prevista para ser concluída no final de 2017.

“Este contrato está expressando o compromisso do Chile com um mundo mais sustentável. Estamos orgulhosos da parceria com o metrô no desenvolvimento de uma nova maneira de alimentar sistemas de transporte público através de uma energia competitiva, confiável e limpa”, comentou Bernard Clément, vice-presidente sênior do setor de Negócios e Operações da Total Energy, em informativo oficial.

O sistema aplicado na usina solar é conhecido como Oasis. Trata-se de um bloco modular totalmente integrado. O formato tem implementação rápida e de baixo custo, ideal para produzir energia limpa em grande escala, sem usar muito espaço. A tecnologia ainda um processo de limpeza automatizado dos painéis, que reduz em 75% a quantidade de água usada, em comparação aos tradicionais, e ainda melhora a eficiência do sistema em até 15%.

Redação CicloVivo

(8123)

logo
Fechar
Abrir
logo