Inicio Arquitetura & Design Mexicanos transformam lixo plástico em casas de baixo custo

Arquitetura & Design

Mexicanos transformam lixo plástico em casas de baixo custo

O resultado é uma casa com isolamento acústico e térmico e que ainda resiste às intempéries climáticas.

18 de agosto de 2016 • Atualizado às 13 : 00
Mexicanos transformam lixo plástico em casas de baixo custo

A startup pode alterar o modo pelo qual as pessoas fazem suas residências. | Foto: EcoDomum

22.79K
0

Buscando resolver dois grandes problemas das metrópoles: a falta de moradia e a destinação incorreta do lixo plástico, uma dupla do México desenvolveu um método para construção de casas utilizando resíduos plásticos.

São usados materiais plásticos que há em abundância pelas ruas: garrafas vazias e brinquedos descartados. A matéria-prima é derretida para formar grandes painéis, que são usadas como paredes e tetos.

Eco Domum/Divulgação

|Foto: Eco Domum/Divulgação

Eco Domum/Divulgação

| Foto: Eco Domum/Divulgação

Usando 80 painéis, cada residência possui 40 metros quadrados, sendo dividida em dois quartos, um banheiro, uma sala de estar e uma cozinha. Em cada uma delas são usados cerca de dois mil quilos de lixo processado.

| Foto: Eco Domum / Divulgação

| Foto: Eco Domum / Divulgação

| Foto: Eco Domum / Divulgação

| Foto: Eco Domum / Divulgação

12002112_1629459857271459_5724923977069816420_n

| Foto: Eco Domum / Divulgação

Os empreendedores Carlos Daniel Gonzalez e Nataniel são os responsáveis pela startup EcoDomum em Puebla (México), que pode alterar o modo pelo qual as pessoas fazem suas residências. Segundo eles, o material fabricado é durável e resistente. O resultado é uma casa com isolamento acústico e térmico e que ainda resiste às intempéries climáticas. Confira o vídeo abaixo da dupla:

Uma quantidade incalculável de plástico vai parar nos oceanos (animais marinhos são mortos pela ingestão) e aterros. O pior é que este tipo de material demora cerca de mil anos para se decompor, logo todas as soluções que visem minimizar seu impacto são muito bem vindas.

Redação CicloVivo

(22793)

logo
Fechar
Abrir
logo