Inicio Negócios Empresa da Indonésia cria sacolas descartáveis comestíveis

Negócios

Empresa da Indonésia cria sacolas descartáveis comestíveis

Se algum animal cruzar com uma dessas sacolas, eles podem, inclusive, usá-las como alimento.

31 de janeiro de 2017 • Atualizado às 14 : 02
Empresa da Indonésia cria sacolas descartáveis comestíveis

As sacolas são fabricadas com amido de mandioca e outras resinas naturais. | Foto: Reprodução/Facebook

1.55K
0

As sacolas plásticas são grandes vilões ambientais. Mesmo sendo usadas durante poucos minutos, elas são um problema que dura centenas de anos. Mas, uma empresa de Bali, na Indonésia, tem trabalhado em uma solução para este problema: sacolas biodegradáveis comestíveis.

Quando se fala em resíduos plásticos, é muito comum associar este material ao lixo dos oceanos. Em todo o mundo, animais marinhos são encontrados com plástico em seu organismo. As sacolas descartáveis estão na lista desses resíduos ingeridos por diferentes espécies.

A empresa indonésia possui uma linha com vários produtos descartáveis totalmente biodegradáveis, entre eles: talheres, xícaras de café, capas de chuva, entre outros. Mas, os sacos plásticos são os mais interessantes.

As sacolas feitas pela Avani são fabricadas com amido de mandioca e outras resinas naturais. De acordo com a fabricante, nada derivado do petróleo é usado no processo de fabricação. Segundo eles, o material se degrada inteiramente dentro de três a seis meses, dependendo da condição do solo, sem deixar nenhum rastro de resíduos tóxicos.

Foto: Reprodução/Facebook

Foto: Reprodução/Facebook

Como os oceanos são grandes preocupações quando se fala em plástico, a companhia se preocupou em fazer testes para saber como seria a degradação do material em água e, em pouco tempo, ele se desfaz.

Se algum animal cruzar com uma dessas sacolas, eles podem, inclusive, usá-las como alimento. Em alguns testes, os animais chegaram a disputar o material. A empresa explica que, se dissolvida em água quente, ela pode ser ingerida até por seres humanos.

Redação CicloVivo

(1548)

logo
Fechar
Abrir
logo