8 tradições de Natal diferentes ao redor do mundo

O Natal é cercado por símbolos e peculiaridades que foram construídos ao longo dos séculos. Confira algumas tradições inusitadas!

tradições de Natal
Foto: Daniel Lee | Flickr

Esta época do ano é cercada por símbolos e tradições que foram construídos ao longo dos séculos. Do latim natalis, a palavra Natal, por exemplo, tem origem muito anterior ao nascimento de Jesus. Acredita-se que a data nasceu para celebrar o solstício de inverno –  fenômeno astronômico que marca o início do inverno, ou seja, para quem vive no hemisfério sul a festa faria mais sentido em 21 de junho do que em 25 de dezembro. 

No Brasil, praticamente importamos o Natal dos Estados Unidos e, exceto pelo consumismo desenfreado, vale pouquíssimo a pena ir contra o que já virou a nossa própria tradição. A cozinha escaldante com assados em pleno verão pode ser compensada por uma mesa repleta de frutas tropicais, fresquinhas e saudáveis. Agora, o que talvez valha mesmo é saber que em outras partes do mundo a celebração natalina também foi remodelada com outras tantas tradições. O site de sustentabilidade Treehugger listou 11 delas e traduzimos algumas delas abaixo, confira. 

1. Finlândia: Hora da sauna

A maior parte da comemoração acontece na véspera de Natal, cuja manhã começa com arroz doce. O dia é repleto de cervejas e canções de natal (que devem sempre andar de mãos dadas). Entre as iguarias, ainda tem “Glögi” (vinho quente) e pão de gengibre, mas o mais curioso é que o dia não fica completo sem uma longa pausa na sauna de Natal. Na Finlândia, as saunas fazem parte da vida da população: há saunas públicas e muitas casas ou prédios têm as suas próprias unidades. 

2. Grécia: Goblins

Foto: Desenho Spencer Alexander McDaniel – Katolophyromai CC 4.0

Criaturas verdes que se assemelham a duendes, os Goblins são parte do folclore nórdico. As criaturas travessas, chamadas de kallikantzaros, passam o ano no subsolo serrando a “árvore do mundo” na tentativa de fazer a Terra desabar, mas assim que se aproximam, chega o Natal. Neste período, eles “emergem” para causar todo o tipo de confusão, tais como urinar nos canteiros, estragar a comida, derrubar coisas e quebrar móveis.

Para se proteger e mantê-los à distância, é preciso pendurar a mandíbula de um porco atrás da porta ou manter o fogo aceso na lareira. Pendurar um feixe torcido de linho na porta da frente também é uma opção, já que os malévolos Goblins se distraem para contar as linhas e assim ficam “ocupados” até o sol nascer. A crença existe na Grécia e em outros países do sul da Europa.

3. México: Las posadas

Uma das tradições populares da época do Natal no México é “las posadas”: trata-se de um novenário em que as pessoas reencenam a saga de Maria e José na busca por hospedagem em Belém. Fazendo peregrinações fantasiadas pelos bairros de casa em casa, durante nove dias, as noites terminam com uma festa repleta de piñatas recheadas de doces, poinsétias e um ponche de frutas de Natal.

4. Suécia: Santa Luzia

Foto: Holger Motzkau CC BY 3.0

O dia 13 de dezembro é, para católicos, o Dia de Santa Luzia: a protetora dos olhos e da visão. Na Suécia, a santa tem peculiar importância pois marca o início da temporada de Natal, além de trazer esperança e luz durante a época “mais escura do ano” – ressaltando a chegada do inverno por lá.

Segundo a tradição, a filha mais velha da casa se veste com vestido branco, uma coroa de gravetos e algo que remeta à luz (como velas) para adornar a cabeça. Com o traje, ela serve café e iguarias assadas para a família e amigos que podem visitá-la ao longo do dia. Há também garotos que usam vestidos brancos, cones de papel na cabeça e varinhas com estrelas na mão.

5. Inglaterra: Realeza de papel

Algumas tradições dos vitorianos na Grã-Bretanha persistem, tais como quando crianças escrevem cartas para o Papai Noel, elas não são enviadas pelo correio, mas sim queimadas na lareira para que ele possa ler a fumaça. Há também o costume de fazer embrulhos de papel em formatos de tubo que podem ser “puxados” e ao se abrirem revelam uma bugiganga, uma brincadeira e uma coroa de papel. O uso de chapéus e coroas de papel faz parte de uma tradição que remonta à celebração Saturnália, festa em honra de Saturno: o deus romano da colheita.

6. Ucrânia: 12 pratos

Foto: Przykuta CC BY 3.0

Várias culturas do leste europeu celebram a véspera de Natal com uma refeição composta por 12 pratos, um para cada apóstolo. A refeição é abundante em peixes, cogumelos e grãos e exclui carnes, ovos e laticínios. Outro ritual envolve não começar a comilança até que a primeira estrela no céu seja avistada.

7. Países alpinos: Cuidado com o Krampus

Foto: Alessio Zaccaria | Unsplash

Krampus é uma figura mitológica que acompanha São Nicolau durante o Natal. Ao contrário do “bom velhinho”, Krampus assusta crianças que não se comportaram ao longo do ano. Na tradição natalina, jovens se fantasiam da criatura diabólica, com direito a chifres e correntes, para desfilar pelas ruas. A crença é presente na Áustria, Suíça e Alemanha.

8. Islândia: Troca de livros

Foto: Sabina Sturzu | Unsplash

E se os presentes de Natal fossem apenas livros? Essa é uma tradição na Islândia. O país tem o costume de comemorar o Natal com troca de livros. Chamada também de “Terra do Gelo”, o frio do país é um incentivo extra para que as famílias passem a noite de natal trocando e lendo seus novos livros, enquanto estão aquecidos dentro de suas casas. Saiba mais aqui.

Confira a lista completa do site Treehugger.