sapo cor de chocolate rã anta
Foto: Germán Chávez
- Publicidade -

Com cor de chocolate e um focinho grande, este pequeno sapo já era conhecido por parte da população do Peru como “rã anta”, apelido que veio pela semelhança do focinho do anfíbio com o focinho do mamífero.

Mas, apenas recentemente o minúsculo sapo foi descoberto por biólogos que há tempos queriam estudar a espécie. Uma equipe internacional de pesquisadores finalmente deu para a rã anta um nome científico e uma descrição, mas precisaram da ajuda de guias locais para encontrá-lo.

“Trabalhar em conjunto com os membros da comunidade solidificou nossa confiança de que estávamos no lugar certo no momento certo e que nos esforçamos para cavar valeu a pena!”, conta disse Michelle Thompson, pesquisadora do Keller Science Action Center no Field Museum de Chicago.

- Publicidade -
sapo chocolate rã anta
Locais onde a pesquisa sobre a nova espécie aconteceu. Fotos: Germán Chávez

A busca se tornou mais difícil porque estes sapos são escavadores, ou seja, ficam sob o solo e para saber onde eles estão é preciso ouvir com muita atenção.

Thompson encontrou o primeiro adulto, após uma longa busca. “Passamos horas triangulando e cavando e não tivemos sucesso imediato. O chão também estava cheio de raízes – o que tornou bastante complicado cavar para tentar encontrar os sapos que ouvimos chamar”.

“Uma vez que triangulamos o som, tivemos que ser pacientes enquanto nos aproximávamos de onde cavar, porque eles ficariam em silêncio quando chegássemos perto deles. Então teríamos que desligar as luzes, ficar quietos e esperar até que eles cantassem novamente”, relembra a pesquisadora.

Além de encontrar o sapo, os membros da equipe puderam gravar seus sons. Eles usaram os sapos reais, seus chamados e análises de DNA para confirmar que os sapos eram uma nova espécie. Eles nomearam o sapo Synapturanus danta – Synapturanus para o gênero e danta, que é espanhol para “anta”.

sapo chocolate rã anta
Imagem: Germán Chávez

Os resultados foram publicados na revista Evolutionary Systematics .

O gênero Synapturanus, do qual faz parte a nova espécie, se adaptou à escavação – isso explica a anatomia do focinho já que a ponta do nariz é usada para cavar o solo. A diferença entre a rã anta do Peru e os demais membros está no tamanho: os outros membros do gênero na Amazônia são robustos com cabeças largas e narizes e braços fortes, já o membro peruano é menor e mais esbelto

Segundo Germán Chávez, pesquisador do Instituto Peruano de Herpetología do Peru e o primeiro autor do estudo, o sapo recém-descrito também tem olhos mais longos do que outras espécies, o que pode significar que eles não vivem muito fundo no solo.  

“De fato, todas essas características parecem nos levar a pensar no habitat onde ela vive: as turfeiras amazônicas, onde o solo é úmido, solto e macio, mais fácil de cavar”, diz Germán. “Parece que esse sapo está perfeitamente adaptado a esse tipo de solo, mas não temos certeza se está restrito a turfeiras, zonas úmidas ou de outra forma, estamos completamente errados e é capaz de cavar solos mais duros.”

Sapo com cor de chocolate

O sapo também tem uma cor muito incomum e nenhum padrão de manchas ou desenhos na pele. “Outras espécies desse grupo costumavam ter manchas ou outro padrão no dorso”, diz Chávez. 

sapo chocolate rã anta
Imagem: Germán Chávez

LEIA MAIS:

- Publicidade -