Inicio Cidadania São Francisco cria lei que obriga pet shops a venderem apenas animais resgatados

Cidadania

São Francisco cria lei que obriga pet shops a venderem apenas animais resgatados

A lei quer erradicar os criadouros de cães e gatos que funcionam em condições ‘desumanas’.

1 de março de 2017 • Atualizado às 13 : 48

A medida irá estimular a adoção de milhares de animais que já ocupam os abrigos da cidade. | Foto: iStock by Getty Images

São Francisco cria lei que obriga pet shops a venderem apenas animais resgatados
3.29K
0

Um projeto de lei que proíbe a venda de cães e gatos não-resgatados em lojas de pet shop foi aprovado na cidade de São Franciso, nos Estados Unidos. A lei quer erradicar da cidade os criadouros de cachorros e gatos que funcionam em condições ‘desumanas’.

A alteração não afetará os criadores licenciados, mas terá como objetivo combater a existência de “fábricas de cachorros” em larga escala, ajudando a facilitar a adoção de milhares de animais que já ocupam os abrigos da cidade.

São Francisco não será a primeira cidade dos EUA a implementar tal medida, que também irá proibir a venda de animais com menos de oito semanas de idade. Los Angeles, San Diego, Chicago, Filadélfia, Boston e Austin todas já aplicaram legislação semelhante.

“A maioria dos amantes de animais ficam horrorizados só com o pensamento de manter seu amado animal de estimação em uma gaiola de arame sujo por um segundo – e muito menos uma semana, mês ou mesmo anos. No entanto, esse é o destino de muitos animais em grandes criadouros comerciais em todo o país, incluindo as mães de muitos filhotes e gatinhos vendidos em lojas de animais”, disse um grupo de supervisores da cidade em um artigo.

“A ganância das lojas de animais de estimação alimenta a cruel indústria de criação comercial que mantém as fêmeas reprodutoras de cães e gatos prisioneiros dentro de gaiolas sujas de arame – cujo único objetivo é produzir marcas de cachorros e gatinhos consanguíneos que são então levados para longe deles, transportados centenas de quilômetros e vendidos”, disse Mimi Bekhechi, diretora da PETA da Grã-Bretanha animal ao jornal britânico The Independent.

Ainda segundo ela, a cidade reconheceu que os animais não são mercadorias e que há uma ligação direta entre a indústria e os milhões de cães e gatos em abrigos ao redor do mundo que, sem destino acabam sendo mortos por eutanásia.

O departamento de animais de San Francisco, juntamente com a organização SPCA, acham lares para cerca de 6.000 animais anualmente.

(3288)

logo
Fechar
Abrir
logo