Inicio Arquitetura & Design Estufa e permacultura ajudam etíopes a produzirem água e alimentos

Arquitetura & Design

Estufa e permacultura ajudam etíopes a produzirem água e alimentos

O sistema permitirá aos produtores cultivarem diversos tipos de alimentos, ao mesmo tempo em que produzem água.

13 de março de 2017 • Atualizado às 10 : 30
Estufa e permacultura ajudam etíopes a produzirem água e alimentos

O projeto tem como intuito criar soluções simples, de baixa tecnologia e que sejam eficientes para usar as condições do clima local a favor da produção. | Foto: Divulgação

83.33K
0

O Root’s Up é um projeto desenvolvido para levar qualidade de vida e autossuficiência às famílias que moram na região norte da Etiópia. Mesmo sendo uma área predominantemente rural, a população local não consegue produzir alimento nem para a própria subsistência devido às condições naturais. Mas, com uma tecnologia simples e conceitos de permacultura, isso pode mudar.

Desenvolvido pelo arquiteto Bassel Jouni, juntamente com a Universidade de Gondar, na Etiópia, o projeto tem como intuito criar soluções simples, de baixa tecnologia e que sejam eficientes para usar as condições do clima local a favor da produção de uma agricultura sustentável e de baixo impacto.

O Root’s Up é dividido em três partes: capacitação dos produtores, construção de uma estufa que produz alimentos e água e instalação de um biodigestor que produz energia para substituir o carvão.

Imagem: Divulgação

Imagem: Divulgação

Como a Universidade de Gondar está localizada em uma região rodeada por famílias rurais, o primeiro passo do projeto é construir um centro de ensino, onde alunos e professores passarão à comunidade os conceitos de permacultura e ensinarão técnicas sobre construção e uso de materiais baratos, ecologicamente corretos e eficientes.

Uma das técnicas ensinadas é a construção de uma estufa multiuso, que permitirá aos produtores cultivarem diversos tipos de alimentos, ao mesmo tempo em que produzem água, já que o recurso é escasso na região e uma das principais causas da baixa produtividade.

Imagem: Divulgação

Imagem: Divulgação

De acordo com os pesquisadores envolvidos no projeto, a estufa multiuso é capaz de produzir até 200 litros de água durante a estação seca e 700 litros na estação chuvosa. O processo para isso é bastante simples. Durante o dia, a estuda, feita em bambu e bioplástico, fica fechada. Assim, o ar quente fica preso ali dentro e a temperatura continua a subir. Durante a noite, quanto os termômetros começam a baixar, o agricultor puxa uma corda que abre a parte superior da estufa, deixando-a arrefecer até atingir o ponto do orvalho. O vapor de água se condensa, formando pequenas gotas, que escorrem para o reservatório central. O sistema também pode ser usado para captar a água da chuva, que pode ser usada para o consumo ou irrigação.

Imagem: Divulgação

Imagem: Divulgação

Imagem: Divulgação

Imagem: Divulgação

Além de usar os conceitos da permacultura nas construções, os produtores serão instruídos sobre conceitos de agroecologia, para melhorar as condições do solo e deixar todo o sistema mais produtivo.

Por fim, o terceiro ponto do projeto é instalar um biodigestor nas propriedades rurais, a fim de que as famílias não precisem usar o carvão como fonte de energia. Os próprios resíduos orgânicos são usados como combustível para produzir calor no quintal de casa.

Clique aqui para ver todos os detalhes desse projeto.

Redação CicloVivo

(83333)

logo
Fechar
Abrir
logo