- Publicidade -

São José dos Campos começa a gerar energia a partir do lixo

Iniciativa deve suprir 30% da energia consumida nos prédios públicos

São José dos Campos energia
O biogás é resultado da decomposição dos resíduos sólidos, ou seja, o lixo que é encaminhado ao aterro. | Foto: Claudio Vieira | PMSJC

Desde 2008, a empresa Urbam (Urbanizadora Municipal) opera uma central em São José dos Campos para tratar o biogás oriundo do aterro sanitário. Todo o gás, até então, era captado e queimado. Mas, agora, uma solução ainda melhor começou a ser implantada no município do interior de São Paulo: a transformação do biogás em energia elétrica para abastecer os prédios públicos da cidade.

- Publicidade -

A Usina de Geração de Energia Elétrica a partir do biogás é composta por seis motores com capacidade de geração de 1,6 MWh de energia. Segundo a prefeitura, a instalação é suficiente para suprir o equivalente a 30% da energia consumida pelos prédios públicos, como hospitais e escolas.

“Serão 974 instalações que obterão créditos, ou seja, abatimento nas contas de energia dos prédios públicos pelo período de 60 meses. O valor do contrato é R$ 20,168 milhões. A iniciativa com o biogás tem previsão de economizar R$ 15 milhões no custeio de energia, ou seja 36,7% nas contas”, detalha a prefeitura de São José dos Campos em comunicado.

São José dos Campos central de biogás
30% da energia consumida pela Prefeitura será derivada de energia limpa gerada a partir do biogás. | Foto: PMSJC

O biogás é resultado da decomposição dos resíduos sólidos, ou seja, o lixo que é encaminhado ao aterro. Ele é captado por uma rede de drenos subterrâneos que se estendem em toda a área do aterro e é direcionado à central, onde é queimado. O problema é que o biogás é composto principalmente pelo metano, um gás 21 vezes mais impactante na atmosfera do que o dióxido de carbono (CO2). Por isso, soluções como esta, que aproveitam-o para gerar energia, são tão importantes.

Energia renovável

São José dos Campos energia
Uma fazenda com módulos fotovoltaicos em Cachoeira Paulista abastece parte da energia consumida nos prédios públicos de São José dos Campos. | Foto: Claudio Vieira | PMSJC

Outra frente de atuação em energia que vem sendo implementada em São José é a geração de créditos nos prédios públicos da cidade por meio da produção de energia solar. Foram instalados 11 mil metros quadrados de placas solares, em Cachoeira Paulista -, cidade que tem alto índice de densidade solar. A operação teve início em 2023 e a economia inicial foi calculada em 26,4% de desconto no uso para abastecer 43 prédios públicos.

- Publicidade -

As fontes de energia renováveis além de necessárias para as cidades reduzirem suas emissões de CO2 contribuem, neste caso, para a economia das contas públicas, de forma que, a longo prazo, o valor abatido pode ser investido em outras necessidades da gestão.