Estamos tão acostumados em gerar lixo e “jogar fora” (fora onde, afinal?) que nem damos conta de questionar quantas coisas inúteis e altamente poluidoras fazem parte do cotidiano. Recentemente, o CicloVivo falou da cerveja dinamarquesa Carlsberg que trocou o plástico por um tipo de cola para fazer os packs de latinhas. Agora é a vez da Corona, marca de cerveja mexicana mais conhecida aos brasileiros, a anunciar sua alternativa: ela está testando anéis de seis componentes isentos de plástico.

Tais anéis fazem a junção do pacote com seis latinhas, geralmente, comercializadas no supermercado. No lugar do plástico, a proposta é um material feito de fibras biodegradáveis ​​à base de plantas, com uma mistura de resíduos de subprodutos e materiais compostáveis.

“Se deixadas no meio ambiente, elas se decompõem em material orgânico que não é prejudicial à vida silvestre, enquanto os anéis de seis componentes são feitos de uma forma fotodegradável de polietileno que resulta em pedaços cada vez menores de plástico se não forem reciclados”, afirmou a Corona em comunicado à imprensa.

Estratégia

A iniciativa é parte do compromisso da marca com a Parley for the Oceans: mesma organização ambiental parceira da Adidas na produção de tênis feitos com plástico dos oceanos. A estratégia é, nas palavras da marca, não somente “evitar” e “interceptar” o plástico o máximo possível, como também ajudar a “redesenhar” as soluções que usam o material. Parece uma boa, a pressão contra os canudinhos neste ano mostrou que as empresas precisam se adaptar para ontem.

“Reconhecemos a influência que uma marca global, como a Corona, pode ter na indústria e, com o apoio da Parley, estamos buscando soluções escaláveis, que podem se tornar um novo padrão para evitar o plástico de uma vez por todas”, afirmou Evan Ellman, diretor da Corona Better World.