Desde a semana passada, o aeroporto de São Francisco (SFO), nos Estados Unidos, proibiu o fornecimento e a venda de garrafas plásticas de água. Parece uma iniciativa drástica? Imagine que, de acordo com a gestão, só em 2018 quase quatro milhões de garrafinhas foram comercializadas – e é impossível saber onde elas foram parar. 

A solução foi substituir o plástico por garrafinhas de alumínio, que são muito recicláveis, ​​e de vidro, que também podem ser reutilizáveis. Outra opção será levar seu próprio recipiente de casa. Em cada terminal há bebedouros onde o passageiro pode recarregar sua garrafinha.

“A água da torneira de São Francisco está entre as águas mais puras e com melhor sabor do mundo, originárias do Reservatório Hetch Hetchy no Parque Nacional de Yosemite, além de duas bacias hidrográficas locais protegidas. Cada bebedouro é limpo regularmente e a água é testada diariamente”, afirma a gestão do aeroporto em comunicado à imprensa. 

Planos maiores

O aeroporto de São Francisco está mirando no desperdício zero. Neste ano, lançou um plano para reduzir o uso de descartáveis em todas as frentes possíveis. O Programa de Concessões de Lixo Zero (em tradução livre) inclui:

• Todos os alimentos e bebidas preparados são servidos em utensílios compostáveis, reutilizáveis ou certificados como biodegradáveis (copos, recipientes de viagem, talheres, etc.) sem produtos químicos fluorados.

• Canudinhos estão disponíveis somente mediante solicitação.

• Acessórios como tampas, talheres e palitos estão disponíveis apenas em quiosques de autoatendimento ou mediante solicitação.

Impacto

Segundo a diretora de sustentabilidade do SFO, Erin Cooke, nove mil garrafinhas são vendidas diariamente no aeroporto de São Francisco. Em apenas um mês, são mais de 270 mil unidades em um aeroporto. Para ter dimensão do problema, pense que o Brasil, com 99 aeroportos, possui o segundo maior número de aeroportos em todo o mundo, segundo a  ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil). Não há dados disponíveis para calcularmos, mas é possível ter dimensão da quantidade absurda de recipientes plásticos que são descartados diariamente. 

A gestão do SFO também lembra que, em média, menos de 25% das garrafas de plástico em todo o mundo são recicladas. Uma única garrafa de plástico leva de 450 a mil anos para se degradar. Uma garrafa que chega hoje ao aterro permanecerá até pelo menos o ano de 2469. A situação piora quando levamos em conta que muitos de nossos itens plásticos estão indo parar nos oceanos.