condomínio sem-teto contêineres
Foto: Dan Ursitti
- Publicidade -

Uma área de 4,2 acres que era um estacionamento no centro de Los Angeles, ganhou um novo significado. O local abriga hoje o condomínio Hilda L Solis Care First Village com edifícios construídos com contêineres e apartamentos destinados a pessoas em situação de rua.

Relatórios estimam que há pelo menos 60 mil pessoas sem ter onde morar em Los Angeles e, com a pandemia, a prefeitura decidiu investir em um planejamento habitacional que ajudasse a melhorar o cenário de vulnerabilidade.

Com a população desabrigada crescendo e cada vez mais em risco durante o Covid-19, a necessidade era imediata”, disse a equipe responsável pela construção.

- Publicidade -

Para a construção do complexo habitacional a prefeitura contratou duas empresas, a NAC Architecture e a Bernards. O condomínio é formado por estruturas térreas e dois edifícios de três andares, que usaram estruturas modulares para sua construção. 

Foto: Dan Ursitti

Três componentes modulares diferentes foram usados: contêineres reaproveitados, unidades pré-fabricadas com estrutura de madeira e unidades móveis. Os elementos modulares, que podem ser construídos fora do local, ajudaram a acelerar o projeto.

O design, a permissão e a construção do projeto foram acelerados agressivamente para atender à crescente necessidade de pessoas que vivem nas ruas de Los Angeles no meio de uma pandemia”, explicaram os profissionais da NAC Architecture.

Imagem: NAC Architecture

A instalação tem quase 6 mil metro quadrados e foi concluída em seis meses. São 232 unidades habitacionais, além de um prédio comum que abriga cozinha comercial, refeitório, lavanderia e espaços administrativos.

O local também possui pátios ajardinados, um parque para cães e vagas de estacionamento para funcionários e moradores. Os prédios de três andares são formados por contêineres empilhados uns sobre os outros.

Foto: Dan Ursitti

Os contêineres são empilhados, fixados no local e utilizam uma estrutura anexa de corredores abertos e escadas para facilitar o acesso a cada unidade”, detalham os arquitetos da NAC Architecture.

Para tornar os contêineres de carga adequados para habitação, a equipe cortou grandes janelas neles e isolou totalmente as paredes e o teto. Cada contêiner abriga dois apartamentos de 12,5 metros quadrados equipados com uma cama, micro-ondas, mini-geladeira, televisão e banheiro privativo.  

condomínio sem-teto contêineres
Foto: Dan Ursitti

Para ajudar a mitigar a propagação do coronavírus e aumentar a autonomia dos moradores, todas as unidades do complexo têm seus próprios sistemas de aquecimento e ventilação.

Inaugurado em abril de 2021, o complexo habitacional foi completamente ocupado em um mês. O projeto custou US$ 57 milhões, com US$ 51 milhões vindos da Lei de Ajuda, Alívio e Segurança Econômica (CARES) do governo federal e o restante sendo pago pelo governo local.

Foto: Dan Ursitti

Leia também:

- Publicidade -