emergência agrícola
Foto: Loren King | Unsplash
- Publicidade -

Várias partes da Argentina estão em meio a um cenário climático extremo. A situação levou o governo a, na última sexta-feira (21), decretar estado de emergência agrícola em quatro províncias: Santa Fé, Mendoza, Córdoba e Misiones.

Nos últimos dias, foram registradas temperaturas de 45ºC na Patagônia, centro e norte da Argentina. Recorde de calor dos últimos 27 anos.

Na área agrícola, diferentes regiões estão sentindo a capacidade produtiva ameaçada. Somam-se eventos adversos.

- Publicidade -

Em Santa Fé, a Comissão Nacional de Emergência e Desastres Agropecuários da Argentina (CNEyDA, na sigla em espanhol) declarou estado de emergência provocado pela seca.

Já em Misiones, o desastre agrícola é consequência de inúmeros incêndios e secas em curso. Em Córdoba, também as queimadas afetam o cultivo. Enquanto em Mendoza, famosa pela produção de vinho, são as geadas e o granizo que prejudicam as plantações.

A Argentina é o maior exportador mundial de óleo de soja processado e farelo de soja. Em meio a este cenário, a colheita prevista de 44 milhões de toneladas de soja poderá ser revisada. Segundo estimativas da Bolsa de Cereais de Rosário (BCR), o milho, que sofre com insolações, também deve ter produção menor neste ano.

O site Climainfo ressalta que tais condições não são totalmente novas. “O Paraguai, o sul do Brasil e o nordeste da Argentina são atravessados pelos rios que compõem a bacia do Prata. Estes territórios vêm experimentando um grave déficit hídrico há três anos, com dois verões consecutivos sob a influência de La Niña. E este verão foi excepcional pela onda de calor que quebrou vários recordes de temperaturas máximas nesses três países e no Uruguai”.

Eventos extremos

Cientistas e seus modelos climáticos projetam que os eventos climáticos extremos passarão a ser cada vez mais comuns. Além de causar grandes desastres, há impacto direto sobre a produção de alimentos. Fortes chuvas e secas extremas, levam à perda de safras.

Além disso, condições extremas de calor afetam a saúde humana e sobrecarregam os sistemas de saúde. Os impactos são maiores onde há populações envelhecidas, urbanização, efeitos de ilha de calor urbana e desigualdades.

- Publicidade -