A Terapia Assistida Por Animais (TAA) envolve cães e outros animais como facilitadores em tratamentos psicológicos ou físicos. Os animais constituem um instrumento eficaz para romper possíveis barreiras entre terapeutas e pacientes, sobretudo crianças.

Nas sessões desenvolvidas por uma equipe interdisciplinar, pode haver interação entre um ou mais pacientes, e um ou vários animais, conectados através de um terapeuta. No entanto, quando é aconselhável recorrer a esse tipo de tratamento?

Em que casos recorrer à TAA com cães

Os campos em que os cães podem atuar como facilitadores são variados. Eles podem ajudar a evitar o bullying, faltas escolares e problemas de comportamento, além de promover a leitura e o desenvolvimento das habilidades sociais, ensinar sobre responsabilidade, reforçar a autoestima, e como apoio em casos de TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade) e autismo.

As terapias com animais facilitam e expressão das emoções (o que nem sempre ocorre com a intervenção dos terapeutas), a sensibilidade, o amor sem apego, o compartilhamento de experiências e pertences, o desenvolvimento sócio-emocional e o reforço lógico-matemático, entre outros.

O cão na dinâmica de trabalho

Para cada situação, são sugeridas diversas dinâmicas com pacientes e terapeutas, com a assistência dos animais. Por exemplo, no caso de uma criança autista, a comunicação verbal que um animal exige é consideravelmente inferior à de um ser humano. Um exemplo é ensinar a criança a dar ordens simples ao cachorro, como sentar e levantar. O fato de o animal obedecer com um comando simples permite que a criança mude os papéis habituais e aprenda a exercer algum controle sobre seu entorno.

As crianças com problemas comportamentais que tendem a desvalorizar amigos, pais e outros adultos para justificar o próprio comportamento agressivo costumam perceber os animais e sua participação na terapia de forma positiva, facilitando a cooperação e o progresso do tratamento.

Benefícios do trabalho com animais

Embora ainda não exista uma forma de quantificar os resultados das TAAs, existem evidências suficientes que comprovam os efeitos positivos do contato com animais:

– Ajuda a criança a entrar em contato com a realidade e a focalizar a atenção.

– Favorece estados de ânimo positivos, tanto de pacientes como de terapeutas, auxiliando a superar a depressão.

– Aumenta a colaboração entre pacientes e terapeutas.

– Estimula o contato social e gera temas de conversação. Pessoas que evitam o contato físico costumam acariciar os cães com prazer, satisfazendo essa necessidade universal.

– Incentiva as diferentes modalidades de tratamento. Por exemplo, crianças com paralisia cerebral precisam se exercitar, e o fazem com mais prazer com a participação de um cachorro.

– Ajuda pacientes com certas enfermidades a sair do egocentrismo, estimulando a empatia, a aceitação e a confiança mútua.

– Os cães abrem um canal de comunicação emocionalmente seguro com as crianças, que não se sentem julgadas.

– Ensina a responsabilidade e reforça a autoestima, sobretudo quando a criança ajuda a cuidar do cão.

– Estimula a diversão e a brincadeira, uma distração positiva que ajuda a diminuir a sensação de isolamento.

TAA como complemento do tratamento

Segundo Javier Boracchia, psicólogo social e educador canino, a terapia com animais pode ser um recurso muito valioso para um trabalho interdisciplinar, mas não substitui o tratamento convencional, apenas o complementa.

Sem dúvida, o trabalho com animais potencializa a aprendizagem. Os cães modificam o ambiente educativo e terapêutico, facilitando a conquista de objetivos, melhorando a qualidade de vida e a integração social das crianças com dificuldades.

Texto originalmente publicado em Discovery Kids

Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.