Parece que o “mundo ambiental” não sabe falar de outra coisa. Também, pudera, em 2018 a ONU está liderando o desafio global para a redução do uso de plásticos, sobretudo os descartáveis. E, nessa onda, mais uma grande rede assume o compromisso de eliminar os canudos: desta vez é a Starbucks.

Nas lojas do mundo inteiro, as tampas com canudos serão substituídas por tampas com uma pequena abertura e um bico -, que eliminarão a necessidade do utensílio. Para quem tiver a necessidade (casos em que a pessoa tenha dificuldade física) ou simplesmente desejar usar o canudo, a loja atenderá a solicitação entregando uma opção mais ecológica.

A alternativa, que pode ser feita de papel ou plástico compostável, também será empregada automaticamente para quem pedir Frappuccino. A única bebida gelada que será entregue com canudo.

Metas

Foto: Divulgação

A companhia norte-americana de café anunciou que o prazo para banir os canudinhos é até 2019 nos Estados Unidos e até 2020 nas demais. Por “demais” entenda-se que a empresa possui mais de 28 mil lojas em todo o mundo. Ou seja, a meta é bastante significativa e, se for implantada, certamente inspirará outras companhias.

“A decisão da Starbucks de eliminar gradativamente os canudos de plástico de uso único é um exemplo brilhante do papel importante que as empresas podem desempenhar na contenção da maré de plástico oceânico”, afirma Nicholas Mallos, diretor do programa Trash Free Seas da Ocean Conservancy. “Com oito milhões de toneladas métricas de plástico entrando no oceano todos os anos, não podemos deixar que a indústria fique à margem”.

Copos reutilizáveis

A Starbucks também incentiva os clientes levarem seus próprios copos. A ação “traga seu próprio copo” é parte dos esforços para reduzir o desperdício. Em 2014, a Starbucks começou a vender um copo reutilizável de um dólar nos Estados Unidos. As xícaras logo se tornaram disponíveis no Canadá e no Reino Unido também. Mais de 18 milhões foram vendidas.

Veja também: Lixo plástico do oceano integra garrafas reutilizáveis no Starbucks

Jornalista, social media e aparelhada para gostar de passarinhos. Tem interesse por mais assuntos do que é capaz de acompanhar. Aqui escreve sobre infinitas possibilidades de tornar o mundo um pouquinho melhor.