A data 8 de abril é marcada como o Dia Mundial do combate ao câncer. O dia foi escolhido para concentrar ações e repassar o maior número de informações possíveis que possam ajudar a população a prevenir as diversas formas da doença e reduzir o número de mortes causadas por ela.

Há mais de cem tipos de câncer. Em comum, todas elas se caracterizam pelo crescimento desordenado de células, que invadem tecidos e órgãos. Essas células se dividem rapidamente e podem determinar a formação de tumores malignos. Consequentemente, o tumor pode se espalhar por outras regiões do corpo.

De acordo com o portal do Governo, são diagnosticados mais de 12 milhões de casos de câncer em todo mundo por ano. A doença causa a morte de mais de sete milhões de pessoas.

Muitas vezes a prevenção é difícil, uma vez que as causas podem ser externas ou internas do organismo. Entretanto, alguns cuidados podem ser tomados, ao menos para evitar os tipos mais comuns, que segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), são eles: os de pulmão, mama, colo-retal, estômago e fígado.

Evitar cigarro, bebidas alcoólicas em excesso, comidas gordurosas, sedentarismo, alimentos conservados no sal ou defumados e o consumo de grãos mal armazenados são as dicas principais para se prevenir dos tipos de câncer citados.

Uma referência nacional no tratamento da doença é o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca). Além de prestar serviços médico-assistenciais, o grupo organiza atividades de formação sobre o tema, realiza ações de prevenção, diagnóstico e tratamento do câncer. No site é possível ter acesso a diversos programas sobre o tema.

Conheça algumas ações realizadas no Brasil pelo Inca:

Programa de Controle do Câncer do Colo do Útero

Programa de Controle do Câncer de Mama 

Programa Nacional de Controle do Tabagismo 

Programa de Transplante de Medula Óssea

Através de campanhas, estudos, pesquisas e experiências junto a instituições governamentais e não governamentais, o Instituto de Câncer busca reduzir o impacto regional e global da doença.

Redação CicloVivo

 

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.