Entre óleo e areia, mais de 600 toneladas de resíduos já foram retiradas das praias do litoral nordestino atingidas por manchas de óleo. A Marinha havia informado 525 toneladas, mas ao final do último domingo (20) o Grupo de Acompanhamento e Avaliação (GAA) atualizou o número.

Pernambuco agora concentra a maior parte das manchas, segundo a Marinha. No último sábado (19), mais de 30 toneladas de óleo foram retiradas das praias: Suape, Muro Alto, Cupe, Porto de Galinhas, Pontal do Maracaípe; Praia do Guaiamum, localidade Ave-o-mar, em Sirinhaém, Foz do Rio Una, Mamucambinhas e Foz do Rio Formoso.

Nesta segunda-feira (21), o Esporte Clube Bahia vai entrar em campo com uniformes que fazem referência ao caso. As camisas têm manchas de óleo desenhadas como forma de protesto. “[…] O Bahia é você, somos nós, cada ser humano. Jogaremos contra o Ceará, em Pituaçu, com a camisa do Esquadrão manchada de óleo. Um convite à reflexão: o que faz um ser humano atacar e destruir espaços sagrados? O lucro a qualquer custo pode ser capaz de destruir a ética e as leis que regem e viabilizam a humanidade?”, diz o time em nota.

Foto: EC Bahia/Divulgação

O presidente do Bahia, Guilherme Bellintani, ainda afirmou que o time vai leiloar as camisas posteriormente para ajudar os grupos voluntários, que fazem a limpeza das praias:

Nesta manhã (21), o Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, ironizou a organização ambiental Greenpeace, por não ajudar na limpeza das praias, publicando um vídeo editado. Em pouco tempo, o assunto virou um dos assuntos mais comentados na rede social:

A situação teve efeito reverso, uma vez que são as autoridades brasileiras (e não as ONGs) que precisam tomar à frente diante deste caos ambiental.

Na falta de efetividade do governo, durante o fim de semana, foram os voluntários e moradores que protagonizaram a limpeza das praias. As imagens tomaram conta das redes sociais:

Remoção na Praia de Carneiros: considerada uma das praias mais bonitas do Brasil.
| Foto: Clemente Coelho Júnior/Instituto Bioma Brasil

Em nota, a Marinha pede que todos que avistarem novas manchas entrem em contato, por meio do número 185, “a fim de auxiliarem na execução de ações que evitem maiores danos à natureza e à população local”.

Veja também:

Mais de 200 toneladas de resíduos de óleo foram retiradas no Nordeste.

Saiba como ajudar quem está retirando óleo das praias do nordeste.

Foto da capa: Cerca de 10 toneladas de manchas de óleo foram retiradas da Praia de Suape, no Cabo de São Agostinho. | Foto: Léo Domingos