O crescente mercado das energias renováveis têm trazido benefícios além dos ganhos ambientais. Nos EUA, os empregos gerados pela indústria de energia solar já superaram aos da mineração e estão próximos aos da extração de petróleo.

Uma pesquisa realizada pela Solar Foundation concluiu que, somente em território norte-americano, são mais de 173 mil pessoas trabalhando em diversos setores da indústria solar. O ramo de instalação é o que abriga mais funcionários, com quase cem mil envolvidos.

A justificativa para o crescimento deste mercado deve-se justamente à queda nos preços das estruturas solares. Desde 2010 os custos têm caído. Nos EUA, as instalações residenciais que custavam US$ 7/watt, hoje saem por menos de US$ 5/watt. Para não residenciais, os custos caíram de US$ 6/watt para pouco mais de US$ 3/watt.

Sendo um dos setores com maior crescimento nos EUA, o ramo da energia solar foi também o que criou mais empregos. Em 2014 a taxa média de novos postos de trabalho no país foi de 1,1%. Mas, no mercado fotovoltaico o percentual foi de 21,8%, com o crescimento dos últimos quatro anos alcançando 86%.

Os “empregos solares” estão cada vez mais próximos do setor petroleiro. Enquanto o primeiro tem quase 174 mil empregados, a extração de petróleo tem 213 mil trabalhadores. Mas, a expectativa é de que a energia limpa continue a crescer. A Solar Foundation já estima um aumento de 20% para o ano de 2015.

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.