O hibisco (Hibiscus sabdariffa) é uma planta muito conhecida devido às suas propriedades medicinais, mas também tem usos ornamental, têxtil e culinário. Conhecida popularmente como caruru-azedo, azedinha, quiabo-azedo, quiabo-róseo, quiabo-roxo, rosélia e vinagreira, a espécie é muito usada na preparação de chás e sucos.

A infusão pode ser feita com qualquer parte da planta, mas o melhor sabor está nos cálices das flores, que também podem ser usados no preparo de picles, geleias, molhos e saladas. Por isso, é importante que seu cultivo seja feito de forma orgânica.

Por ser uma espécie pouco exigente, seu plantio pode ser feito por todo o Brasil. O hibisco possui diferentes cultivares, todas com flores exuberantes e atrações no mercado de plantas ornamentais em forma de arbusto, cerca-viva e em vasos.

Foto: iStock by Getty Images

De acordo com o Thiago Campos, especialista em agricultura orgânica, os tipos de hibisco mais conhecidos são: Singelas (flores com 5 pétalas, sobrepostas e separadas); Semidobradas (flores tem duas a três pétalas vindas do centro); Dobradas (flores com mais de 5 pétalas que vem do centro) e Miniaturas (flores com menos de 5 cm de diâmetro).

Benefícios do hibisco orgânico

Trata-se de um alimento rico em propriedades nutritivas, anticoagulante e cicatrizante. Rico em cálcio, magnésio, ferro e vitaminas A e C, o hibisco contém fitoquímicos, altos teores de antocianinas, fitosteróis, além de quantidade significativa de fibras alimentares. As folhas de hibisco orgânico são ricas em sais minerais e aminoácidos. Suas folhas, também comestíveis, são ricas em mucilagem contendo ácidos muito usados na fabricação de geleias, doces, picles, vinho, vinagre, sucos e chás.

Foto: iStock by Getty Images

Famoso emagrecedor, o chá de hibisco contém polissacarídeos e flavonóides estimulando o metabolismo, a digestão além de possuir ação diurética e reduzir o colesterol ruim.

Todas essas propriedades e muitas outras fazem do hibisco um alimento especial e a melhor maneira de aproveitar todas as vantagens que esta planta pode oferecer é cultivá-la de maneira orgânica.

Como plantar hibisco orgânico

Luminosidade, Clima e Solo

As variedades de hibisco gostam muito de luz, por isso plante em locais em pleno sol. Porém, não esqueça de deixar o solo úmido até a planta se estabelecer.

Seguindo algumas recomendações, plantar hibisco não tem muito segredo. Trata-se de uma planta pouco exigente que se adequa facilmente aos climas brasileiros. Deve-se respeitar um intervalo entre 7ºC e 22ºC.

Recomendo plantio em solo com pH entre 6,0 e 7,0. O solo deve estar bem drenado, fértil e rico em matéria orgânica. Por isso, recomendando-se preparar o solo com adubo verde aumentando a dose em 2/3 quando o cultivo for em vaso. Adube também na época de floração.

Plantio

A forma mais fácil de plantar hibisco orgânico é retirar estacas verdes com gemas reprodutivas de uma planta adulta e enterrá-las diretamente no solo ou no vaso. Escolha os dias chuvosos para retirar as estacas e aquelas com gemas, mas sem flores, pois terão mais chance de enraizar. Caso não seja possível plantar em dias chuvosos, deixe o solo sempre úmido durante o primeiro mês de plantio. Para plantio em canteiros deixe o espaçamento de 1 a 2 metros para o arbusto se desenvolver.

Cultivo em Vasos

O espaçamento em vasos deve ser de no mínimo 90 cm. Do resto, siga os mesmos passos de um plantio direto no solo. No vaso será necessário podar com certa frequência para a manutenção das flores. A poda consiste no corte de ramos acima das juntas das folhas em um ângulo longe do centro do arbusto. Isso enviará um sinal à planta para que cresçam mais ramos nessa localização, para fora em direção divergente. Caso perceba parte da planta morta, também faça a poda corretiva dessa parte.

Irrigação e Tratos Culturais

O solo deve ser mantido úmido durante toda a fase de crescimento da planta, mas nunca encharcado. No vaso, use borrifador para umedecer as folhas.

Caso o solo não seja rico em matéria orgânica, indico a adubação com 3,0 kg/m² de composto orgânico, 1,0 kg/m² de esterco de gado ou 1,0 kg/m² esterco de aves, todos curtidos. Caso seja necessário, deve-se complementar a adubação com fósforo através de fosfato natural e/ou potássio com introdução de cinzas de madeira.

Procure podar o hibisco orgânico após o fim da floração para incentivar a planta a desenvolver novos ramos florais no começo da primavera. Também indico a poda no inverno que é o período em que a planta entrará em dormência vegetativa. Tome bastante cuidado com baixas temperaturas e geadas, pois o hibisco não suporta tais condições.

Caso tenha problemas com pulgões, cochonilhas, moscas brancas, ácaros, lagartas, besouros japoneses, ferrugem, manchas fúngicas foliares, murcha de verticillium ou crestamento bacteriano, tente utilizar o método com calda bordalesa.

Colheita

Caso você tenha interesse em consumir hibisco orgânico, você pode colher as folhas ainda jovens. Caso a planta esteja mais velha, não consuma crua, aproveite as folhas e flores de forma cozida. Faça chás, geleias, doces. Inclua no seu prato com arroz e feijão. Aproveite todas as formas possíveis dessa planta rica em nutrientes!

Agora que você já sabe como plantar hibisco orgânico, que tal aprender como fazer seu próprio jardim? Clique aqui para saber mais.