reciclagem embalagem longa vida
Foto: Divulgação
- Publicidade -

As caixas longa vida garantem a conservação de diferentes alimentos por muito mais tempo, preservando seus nutrientes e garantindo um melhor aproveitamento. Mas, o valor destas embalagens não está em preservar o leite, suco ou outros líquidos.

Quando descartadas adequadamente e destinadas à reciclagem, elas se transformam em matéria prima para fabricação de vários outros produtos.

“No processo de reciclagem, as embalagens longa vida, têm sua composição segregada, com isso os principais materiais dos quais são feitas (celulose, plástico e alumínio) são usados para a fabricação de muitos produtos”, explica Roberto Domingos Júnior, diretor da Copel Recicláveis. 

- Publicidade -

Ele explica que a celulose, que é tirada dessa embalagem durante a reciclagem, vira um novo papel. O plástico e o alumínio também são usados para a composição de vários produtos, como por exemplo, capas de livros, de cadernos e revestimentos para pisos.

reciclagem longa vida telhas
Foto: Divulgação

“Mas a destinação mais usual no Brasil tem sido para a fabricação de telhas ecológicas. Essas telhas, feitas com o plástico e o alumínio retirados das caixinhas, têm ganhado um grande espaço no mercado de materiais de construção, pois elas, além de mais baratas do que as telhas convencionais de argila, têm uma grande propriedade de isolamento térmico, por causa do alumínio, que rebate a luz solar”, explica o executivo da área ambiental.

Roberto estima que por ano de 8 bilhões a 10 bilhões de caixinhas longa vida sejam inseridas no mercado brasileiro. Mas, infelizmente, grande parte das embalagens longa vida consumidas no Brasil ainda acaba nos aterros ou, o que é pior, em lixões. A caixa longa vida ou cartonada é composta basicamente por celulose, plástico e alumínio, e esses elementos, quando descartados na natureza, levam décadas para serem decompostos.

“Podemos estar falando de 20, 30 ou até 100 anos para que se decomponham totalmente. Daí a importância de se ter a destinação correta dessas embalagens, porque se não essas substâncias irão poluir o meio ambiente por décadas.”

Roberto Domingos Júnior, diretor da Copel Recicláveis

“Cerca de 40% a 60% das embalagens longa vida são recicladas. Esse percentual poderia ser maior, se houvesse mais campanhas de conscientização para engajar a população a reverter essas embalagens para o mercado da reciclagem e para que não parem em lixões, aterros e no meio ambiente”explica.

Descarte fácil

reciclar Tetra Pak
Foto: Tetra Pak

Com um pouco de consciência e algumas dicas simples, essas caixinhas usadas para conservar os alimentos têm uma destinação adequada. O descarte adequado pelo consumidor final é simples e não tem muito segredo. 

Essencialmente é preciso esvaziar bem a caixa para não ficar resíduos de alimentos, que irão trazer um mau odor e atrair vetores contaminantes (moscas e outros insetos). Portanto, se recomenda passar um pouco de água para eliminar melhor esses resíduos, que ficam dentro da embalagem. Também se aconselha desmontá-las ou compactá-las para não ocupar muito espaço. Mas, o mais importante é separar essas caixinhas para que elas sejam destinadas à coleta seletiva da sua cidade.”

a tampinha deve ser descartada à parte. Feita de polipropileno, ela é reciclada para ser usada como matéria prima de outras tampas de embalagens ou para fazer outros produtos feitos de plásticos derivados do polipropileno como baldes, bacias ou vasos plásticos. Em São Paulo, algumas estações do Metrô têm pontos de coleta de tampinhas.

- Publicidade -