O primeiro avião totalmente elétrico, batizado de Cri-Cri, realizou seu primeiro vôo na última quinta-feira (02), no aeroporto de Le Bourget, próximo a Paris. A invenção foi desenvolvida pela EADS Innovation Works, Aero Composites Saintonge e pela Green Cri-Cri Association.

A decolagem foi suave, sem tremores que pudessem ser sentidos e manobras bem executadas. Todos os sistemas funcionaram bem e o avião retornou após sete minutos de vôo.

“O avião voa muito suavemente, muito mais calmo que um avião com propulsão convencional”, disse Didier Esteyne, que pilotou o Cri-Cri. “Mas nós ainda estamos no começo e temos muito que aprender. Estaremos permitidos a realizar manobras acrobáticas apenas depois de cinco horas de vôo e 15 aterrissagens.”

O avião acrobático incorpora diversas tecnologias inovadoras, como leves estruturas para reduzir o peso do corpo e compensar o peso adicional dos outros componentes. Ele conta com quatro motores elétricos, hélices que dão propulsão sem emitir CO2 e um ruído baixo, se comparado a outras tecnologias.

A combinação dessas tecnologias permite ao Cri-Cri voar por 30 minutos a 110 km/h, ou por 15 minutos a 250 km/h, além de uma velocidade de decolagem de 5,3 m/s.

Além do avião elétrico, a EADS está realizando outras pesquisas no ramo da tecnologia verde, entre elas estão os biocombustíveis feitos de alga e um helicóptero híbrido com sistema de propulsão, que combina energia elétrica com motores de pistão.

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.