dispositivo luz solar Singapura
Foto: Green Savers

Cientistas da Universidade Tecnológica de Nanyang, em Singapura, desenvolveram dispositivo ‘inteligente’ capaz de coletar a luz do dia e retransmiti-la para espaços subterrâneos.

A necessidade de se iluminar espaços subterrâneos surgiu quando autoridades de Singapura começaram a estudar a possibilidade de criar novos espaços subterrâneos onde seriam oferecidos serviços públicos, áreas de armazenamento e infraestrutura, o que iria gerar uma demanda maior de eletricidade para manter estes locais iluminados no futuro.

Os cientistas entraram em ação e trouxeram como proposta de um dispositivo que levasse a luz do dia e iluminasse estes locais de forma mais sustentável. A equipe da universidade teve como inspiração lupas que podem concentrar a luz do sol em um ponto.

Os pesquisadores usam uma esfera de acrílico, uma única fibra ótica de plástico – um tipo de cabo que transporta um feixe de luz de uma extremidade a outra – e motores assistidos por chip de computador.

Como funciona?

O dispositivo fica na superfície a esfera concentra a luz do sol, assim como uma lupa, permitindo que raios de sol paralelos formem um foco nítido. A luz solar é então coletada numa extremidade de um cabo de fibra e transportada até a extremidade implantada no subsolo.

A posição da extremidade de coleta da fibra é constantemente ajustada por  pequenos motores e chips para otimizar a captura de luz, conforme o sol se move. O protótipo pesa 10 kg e tem 50 cm de altura.

A inovação foi tema de uma publicação na revista científica Solar Energy. Desenvolvido pelo professor Yoo Seongwoo da Escola de Engenharia Elétrica e Eletrónica e pelo Dr. Charu Goel, pesquisador principal do Instituto de Fotónica da NTU, o dispositivo supera várias limitações da tecnologia de captura de luz solar atual, que varia muito de acordo com fatores ambientais.