Brasileiro cria primeiro carro “quadriflex”

Um carro que combina álcool, gasolina e energias eólica e solar foi apresentado em uma feira de tecnologias limpas, em São Paulo. A criação é do engenheiro cearense Fernando Alves Ximenes, e segundo ele, é o primeiro carro “quadriflex”.

Um carro que combina álcool, gasolina e energias eólica e solar foi apresentado em uma feira de tecnologias limpas, em São Paulo. A criação é do engenheiro cearense Fernando Alves Ximenes, e segundo ele, é o primeiro carro “quadriflex”.

Diferente do motor convencional, que tem duas correias e engrenagens que fazem rotação para produzir a energia exigida pelo veículo, no "quadriflex" essa energia é produzida pelo ar e pelo sol. A tecnologia, que combina quatro tipos de combustíveis, tem como objetivo reduzir a emissão de CO² na atmosfera. Segundo Ximenes, são menos 40% de dióxido de carbono lançados no ar.

O carro, desenvolvido a partir de um Fiat Uno, possui uma placa fotovoltaica no teto do veículo para captar energia solar e geradores eólicos nas laterais, que capturam energia quando o carro está em movimento e atinge 40 km/h. Ximenes investiu capital pessoal e dez anos de pesquisa para chegar a estes resultados.  

A meta do engenheiro é apresentar até o próximo ano o carro autossustentável. O objetivo é que o automóvel funcione somente com energia eólica e solar, sem emissão de poluentes. Ximenes defende que os métodos sustentáveis devem ser disseminados em carros populares para que a redução de CO² seja significativa.

Para que a sustentabilidade seja aplicada aos carros populares, ele acredita que a empresa tem de unir-se à outra que já tenha filiais pelo mundo inteiro. Ximenes, inclusive, já foi contatado por uma montadora norte-americana. Se houver acordo, a meta é que dentro de três anos seja montada uma unidade de fabricação no Ceará.

O cearense é dono da empresa Gram Eollic, fundada em 1989, e já apresentou seu automóvel no encontro Inova 2011, em junho, no Ceará, e na EcoEnergy, feira internacional de tecnologias limpas e renováveis, que ocorreu em São Paulo neste mês. Com informações do G1.

Redação CicloVivo

Siga as últimas notícias do CicloVivo no Twitter