“Velozes e Furiosos 6” já chegou aos cinemas brasileiros. A superprodução norte-americana é recheada de carros rápidos, explosões e efeitos especiais. Mesmo que pareça irônico, a Universal se preocupou em reduzir as emissões geradas pela produção.

As alternativas aproveitadas durante as gravações de Velozes e Furiosos integram a “política verde” do estúdio, que também é aplicada nas séries e em outros grandes sucessos que carregam a sua marca. Por ser um filme que em sua essência já gera um impacto ambiental alto, já que 300 carros foram destruídos nas filmagens, as práticas sustentáveis foram direcionadas, principalmente, aos bastidores.

Reciclagem e compostagem foram duas palavras bastante comuns entre as equipes que integram a produção. As embalagens e os resíduos, inclusive os restos de alimentos, foram todos destinados adequadamente. O maior destaque deste processo foi o cuidado dispensado ao resíduo de óleo de cozinha, que foi refinado e serviu como combustível para uma caminhonete usada para o transporte de materiais dentro do set de filmagem.

Conforme informado pela Universal Studios, a reutilização do óleo de cozinha foi uma das alternativas encontradas para fechar o ciclo, ou seja, completar o processo de reciclagem e ainda usar o produto resultante disso.

Outra preocupação estava relacionada ao desperdício de itens usados na cenografia. Frutas, legumes, sapatos, roupas e outros utensílios utilizados nas gravações foram posteriormente doados a um grupo londrino que distribui os itens entre diferentes instituições de caridade.

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.