A ONG Sociedade Real de Prevenção à Crueldade Contra Animais (em inglês, RSPCA), sacrificou 43 ovelhas saudáveis na Inglaterra. Elas faziam parte de um rebanho com 500 caprinos, que eram transportados em condições inadequadas.

O massacre ocorreu em 12 de setembro do ano passado, quando os veterinários da RSPCA e os agentes do governo decidiram que 43 animais do rebanho não estavam saudáveis para seguir viagem porque apresentavam inflamações nas patas. Porém, segundo especialistas, esta doença é comum entre os caprinos e não oferece grandes riscos.

Mesmo assim, 41 animais foram assassinados a tiros, desobedecendo ao padrão do sacrifício humanizado.  De acordo com os especialistas, os procedimentos utilizados para matar as ovelhas causaram muito mais dor do que o esperado.

A RSPCA disse que as execuções foram realizadas por “oficiais treinados na eutanásia humanizada de animais” e ainda publicou a foto das ovelhas mortas em seu site. A imagem faz parte de uma campanha que pede o fim do transporte de animais vivos para o abate. “Avisamos as autoridades, desde o início, que eles não tinham a infraestrutura para lidar de modo seguro com exportações de animais vivos", alega Gavin Grant, executivo-chefe da ONG.

Antes de as 41 ovelhas serem mortas a tiros, duas foram imediatamente sacrificadas pelos agentes durante uma inspeção da ONG e do órgão responsável pela exportação de animais. Outras duas ovelhas morreram por acidente durante o transporte, que os agentes de inspeção da RSCPA consideraram como “inadequado”. Com informações do Terra.

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.