Há três anos, jovens da cidade de Manaus se juntaram na luta pela melhoria do trânsito. O projeto começou no Twitter, em seguida, chegou ao Facebook até transformar-se em um site. Hoje em dia, o mesmo grupo possui o projeto Ônibus Manaus.

A ideia é transmitir informações sobre o trânsito de Manaus, o que ajuda os motoristas a escolherem a melhor rota e ainda evita congestionamentos. A equipe é formada por seis pessoas, cada um desempenha uma função neste projeto.

Há o CEO do Trânsito Cidade, Luiz Eduardo Leal, que através de dados e pesquisa desenvolve projetos municipais. A diretora de Mídias Sociais, Rebecah Keyce, que traça os gráficos. O diretor de Inovação, Steven Conte, que cria conexões com a ajuda de suas ideias e tecnologia.

O grupo também é conta com um diretor de Design, Glauber Gomes, um programador, Claudivan Júnior, e por William Maciel, que fica responsável pelos textos. Juntos eles conseguiram levar o projeto “Educação no Trânsito de Manaus” ao Catarse (uma plataforma de financiamento colaborativo) em parceria com a sociedade Manauara.

Para que a campanha seja lançada será preciso um investimento alto e, por isso, o grupo cadastrou sua estratégia no Catarse. No site também há informações de como a campanha será realizada.

“Sabemos que não podemos controlar os 400 mil carros que Manaus possui, mas acreditamos que podemos melhorar o trânsito através de pequenas ações. Criamos um canal em várias redes sociais para falar de trânsito. Foi assim que ajudamos 60 mil pessoas por dia com informações sobre os congestionamentos. Foi sempre pensando nas pessoas que criamos o Ônibus Manaus, uma plataforma onde possui os itinerários de todos os ônibus da cidade. Queremos mais. Queremos ajudar mais”, afirmam na descrição do projeto.

A campanha precisa de 30 mil reais até 17/02/2013. Falta pouco mais de 30 dias para o prazo chegar ao fim, então quem estiver interessado em ajudar pode contribuir através deste link.

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.