delivery sustentável
Embalagens feitas de fécula de mandioca podem substituir opções de plástico. Foto: Divulgação
- Publicidade -

Com a pandemia e a necessidade de isolamento social, alguns negócios prosperaram. Entre eles, o serviço de delivery. O gasto com aplicativos de entrega, em especial entrega de comidas prontas, cresceu 149% em um ano e meio.

E junto com o aumento das entregas, veio o aumento das embalagens, em sua maioria feitas de plástico. Isso sem falar nos talheres, canudos, pacotinhos descartáveis para molhos e até “decoração” de alguns pratos.

- Publicidade -

Famílias que estão passando mais tempo em casa e fazendo mais pedidos por apps, aumentaram a quantidade de “lixo” domiciliar em até 25%. Lembrando que o que chamamos de lixo é em grande parte material que pode ser reaproveitado, reciclado e que não deveria ir para aterros.

Na tentativa de diminuir o impacto ambiental das entregas, aplicativos de delivery estão estudando soluções para um modelo de negócios mais sustentável.

Compensação de CO2

No início de julho, o iFood anunciou que 100% das entregas realizadas pelo aplicativo serão compensadas antecipadamente em CO2. A compensação vai acontecer com investimentos em projetos de preservação ambiental na Floresta Amazônica.  

Para comunicar esta ação aos consumidores, o app foi atualizado com banners, ícones e notificações com push especiais. Por exemplo, quando for sinalizado “pedido a caminho”, aparecerá uma mensagem sobre a entrega neutra e o ícone do modal de entrega, na tela de pedido rastreável, que foi alterado para remeter ao delivery com suas emissões de CO2 compensadas. Os clientes também poderão checar, no histórico de pedidos, as entregas neutras que recebem a partir de 1 de julho, a partir de um selo da iniciativa.

Além disso, a partir de julho, a seção de “Doação” do app passará a ter também a opção direcionada às ações de plantio de mudas na Mata Atlântica. 100% dos recursos arrecadados serão destinados à SOS Mata Atlântica, revertidos na plantação e manutenção de novas árvores.

Embalagens compostáveis

O Rappi, outro aplicativo gigante de entrega, se uniu à marca de cervejas Corona em uma ação para substituir embalagens de plástico por opções feitas com fécula de mandioca que, conforme os testes apresentados, levam aproximadamente 12 semanas para completa decomposição – enquanto o plástico leva anos – e podem ser utilizados como adubo ao final do processo de compostagem.

Um primeiro lote com 31 mil embalagens mais sustentáveis foi entregue pela Ambev gratuitamente a dezenas de lojas. Quando se esgotarem as embalagens de cortesia, todos os estabelecimentos terão acesso aos fornecedores dos materiais, podendo adquirir as embalagens por valores próximos aos dos embrulhos de plástico, que geram um impacto maior e mais complexo à cadeia de coleta e reciclagem.

Os consumidores poderão optar por pedir  refeições com estas embalagens usando o selo Less Plastic no aplicativo e, quando fizerem, terão descontos na compra de Corona Extra.

Desafio por embalagens mais sustentáveis

Para tentar reduzir as quantidade de plástico e resíduos geradas com as entregas, o iFood e a Suzano lançaram um desafio de desenvolvimento de embalagens mais sustentáveis para o transporte de alimentos.

Com o objetivo de fomentar a inovação no segmento, as empresas anunciaram o compromisso de apoiar soluções para o uso de materiais mais amigáveis ao meio ambiente, como embalagens biodegradáveis, tornando o delivery mais sustentável. 

delivery sustentável
Foto: Kelly Sikkema | Unsplash

Entre os projetos previstos para 2021 está a criação do desafio Embalagens do Futuro, que teve início em junho. Designers e criativos podem inscrever seus projetos no site embalagemdofuturo.com.br até o dia 1º de agosto.

O objetivo do desafio é encontrar soluções de embalagens de papel com tecnologia e design funcional para garantir aos restaurantes a qualidade das refeições na hora da entrega.

O vencedor será escolhido por meio de uma comissão julgadora especializada no tema. A ideia será premiada e a embalagem desenvolvida poderá ser incluída no portfólio da Suzano, sendo ofertada para todo o mercado por meio do iFood Shop. Além disso, os vencedores receberão vouchers e um valor em cartão de débito.

Você sabe quanto lixo produz?

O Brasil é o quarto maior produtor de lixo plástico no mundo, com cerca de 11,3 milhões de toneladas ao ano. Mais de 10,3 milhões de toneladas desse total são coletadas (91%), mas só 145 mil toneladas, apenas 1,28%, chegam a ser efetivamente recicladas para se tornar produtos secundários. Por outro lado, 72% dos consumidores dizem que gostariam de receber seus pedidos de delivery sem plástico descartável; 15% deles ainda afirmam que já deixaram de comprar, desconfortáveis pela quantidade de plásticos.

Foto: Reprodução | Plastic Reality

Para que cada um calcule a sua participação nesta imensa geração de resíduos, a Corona lançou o webapp Plastic Reality (Realidade do Plástico), uma ferramenta gratuita para calcular a quantidade individual de lixo consumida no ano – o usuário responde a perguntas básicas sobre seus hábitos e visualiza sua pegada por meio de pedaços de plástico de Realidade Aumentada, inseridos virtualmente no mundo físico.

- Publicidade -