alimentação
Foto: Daniel Dan | Pixabay
- Publicidade -

A união de empresas do setor de alimentação e tecnologia está ajudando a evitar o desperdício de alimentos no Brasil com o movimento Todos à Mesa. Em 6 meses, mais de 1,8 mil toneladas de alimentos foram doadas para organizações da sociedade civil e projetos sociais em todo o país.

Empresa como o iFood, Bauducco, Carrefour Brasil, Danone, Camil,  DPA, M. Dias Branco, Nestlé e Lopes Supermercados, criaram conjuntamente uma solução tecnológica para combater o problema em linha com o ODS 12 da ONU – referente ao consumo e produção responsáveis.

“Buscamos conectar e usar a tecnologia e inovação para potencializar iniciativas de doação. Temos o objetivo de incentivar indústrias e varejistas a doarem produtos alimentícios excedentes que tenham suas propriedades intactas e estejam na validade, beneficiando, assim, milhares de pessoas em todo o Brasil”, explica João Barreto, diretor de Sustentabilidade do iFood.

- Publicidade -

Usando a inteligência de redistribuição de alimentos da startup de impacto social Connecting Food, o programa possui como pilares:

  • Combater o desperdício de alimentos a partir da redistribuição inteligente de alimentos excedentes;
  • Abrir discussões sobre como ampliar o marco regulatório das doações de alimentos;
  • Potencializar iniciativas de redistribuição de alimentos;
  • comunicar a sociedade sobre as melhores práticas de combate ao desperdício e doação de alimentos.
desperdício de alimentos
Foto: Pixabay

Desperdício de alimentos

Atualmente, o mundo desperdiça um terço dos alimentos que produz e, somente no Brasil, mais de 19 milhões passam fome e mais de 116 milhões convivem com algum grau de insegurança alimentar, ou seja, não sabem ao certo se farão 3 refeições diárias.

“O atual momento evidenciou ainda mais a questão da insegurança alimentar no Brasil e a necessidade de reforçar o nosso compromisso em levar nutrição e bem-estar a quem mais precisa. Reconhecemos a importância de juntar forças para uma mobilização que apoie de fato a população mais vulnerável, levando alimentos saudáveis e de qualidade a quem mais precisa”, diz Barbara Sapunar, Head de Sustentabilidade e Branding da Nestlé Brasil.

Entre as razões do desperdício, que contribui com esse quadro, existem padrões de estética de frutas, legumes e verduras que fazem com que muitos produtos não sejam aproveitados.

alimentos mercado
Fotos: HOK-Elannon S-marketit

Além disso, há um excedente de produção, ou seja, produtos de indústrias e mercados dentro da validade, e perfeitamente aptos ao consumo, que não possuem tempo hábil para chegarem às prateleiras. Juntas, essas e outras variáveis impedem que alimentos de boa qualidade sejam comercializados. 

Há um potencial de que estes produtos sejam direcionados a uma rede humanitária de redistribuição de alimentos e cheguem às mesas das populações em vulnerabilidade social no Brasil.

Em meados do ano passado, entrou em vigência a Lei 14.016, que dispõe sobre o combate ao desperdício de alimentos e a doação de excedentes, autoriza a doação de alimentos excedentes dentro da validade e dentro das condições ideais de conservação e próprias ao consumo humano.

Para mais informações dobre o movimentos Todos à Mesa, clique AQUI.

LEIA MAIS:

- Publicidade -