- Publicidade -

Projeto recolhe bikes abandonadas para projetos sociais

No último ano, a campanha “Bike Parada Não Rola” coletou quase 500 bicicletas em condomínios residenciais de São Paulo, Macaé e Rio de Janeiro.

bicicletas usadas
Foto: Instituto Aromeiazero

Desde 2011, o Instituto Aromeiazero promove a campanha “Bike Parada não Rola”. A iniciativa consiste na articulação entre síndicos e síndicas de condomínios residenciais para realizar a identificação de bikes abandonadas nos bicicletários dos prédios. 

- Publicidade -

O passo seguinte da ONG é coletar as bikes e reformá-las para uso em seus projetos sociais. Entre as ações, destaca-se o Viver de Bike, curso de geração de renda a partir da bicicleta, destinado a profissionais do cicloturismo, ciclologística e pessoas que queiram empreender com a bike, e o Rodinha Zero, que ensina crianças a pedalarem com autonomia e segurança sem rodinhas de apoio. 

bicicletas usadas
Foto: Instituto Aromeiazero

Entre tantas pessoas que passaram pelos projetos sociais do Instituto, está o Edmilson Pinheiro, ex-aluno do Viver de Bike de Macaé. O técnico químico e cicloviajante, participou da primeira turma da região. 

“Todo o curso foi ótimo, mas destaco a aula de empreendedorismo, pois me despertou a vontade de trabalhar com cicloturismo”, conta ele. Ao final do Viver de Bike, cada aluno recebe uma bicicleta como diploma, como foi o caso do Edmilson. Ele ganhou uma Caloi Cruiser sem câmbio, considerada a primeira do Mountain Bike (versão com câmbio) no Brasil. “A bicicleta era usada, mas em ótimas condições. Com ela pude usar um pouco do que aprendi nas aulas: reformei e pintei com as cores da bandeira de Macaé”, explica.

Outro contemplado com a doação de bicicleta foi Eduardo Cristian de Jesus Santos, morador de Diadema, São Paulo e cicloentregador. Eduardo conheceu o Aromeiazero por meio das redes sociais, se apaixonou pela causa e decidiu participar do Delivery Justo, campanha que faz parte do Viver de Bike. Em 2021, sofreu um acidente e acabou perdendo sua bike.

- Publicidade -

“Sou cicloentregador e a bicicleta é a minha fonte de renda. Graças ao Aromeiazero, que me doou uma bike em excelentes condições, pude seguir com o meu trabalho”, comenta.

bazar da bike
Foto: Instituto Aromeiazero

Thiago Santos Moreira, professor de história da rede municipal de São Paulo e ex-aluno da Jornada Para Multiplicadores do Rodinha Zero, conta que foi através da doação das 10 bicicletas por parte do Aromeiazero, que desenvolveu o projeto Bicicleta Educativa na EMEF professora Shirley Guio para ensinar as crianças a pedalar. “Doar a sua bicicleta é incentivar projetos comunitários e educacionais”, destaca.

Bikes abandonadas

Para somar forças com a campanha e ajudar síndicos e administradores de condomínios a se mobilizarem, o Aromeiazero conta desde 2021 com o apoio do SíndicoNet, plataforma de conteúdo e serviços para condomínios do Brasil. Entre junho de 2021 e junho de 2022, a campanha coletou 408 bicicletas em condomínios de São Paulo, Rio de Janeiro e Macaé (RJ), sendo que, neste um ano de parceria, 174 delas foram recolhidas por meio do SíndicoNet, o que representa 42% do total. 

- Publicidade -
Foto: iStock

“Queremos fechar 2022 com 50% a mais de contatos e doações feitas em 2021 – ou seja, precisamos de 60 contatos novos, 15 doadores e um total de 245 bikes captadas, em 3 cidades: SP, RJ e Macaé”, informa Murilo Casagrande, diretor do Instituto.

Como doar

O processo de doação é simples: os cadastros poderão ser feitos no portal, logo após o Aromeiazero entrará em contato para fazer um levantamento prévio da quantidade de bikes a serem doadas e definir um período para a execução da campanha. Vale ressaltar que o Aro oferecerá apoio e material de divulgação para conscientização dos moradores sobre a importância das doações e, logo após, irá até o local retirar as bikes sem custo.

Simone Bifulco Martine, Síndica do Condomínio Edifício Residencial Estoril, localizado em São Paulo, conta que estava à procura de uma Organização que tivesse um trabalho sério e que impactasse positivamente outras pessoas e foi através do Síndiconet que encontrou o Aromeiazero.

ciclistas SP
Foto: Rovena Rosa | Agência Brasil

“Fui bem atendida desde o primeiro contato. Conseguimos identificar as bicicletas sem dono e logo após fizemos as doações. Doar é dar vida para algo que está abandonado. Buscamos através desta campanha dar chance às crianças aprenderem a pedalar ou mesmo transformá-las em ferramentas de trabalho para adultos”, afirma.

“Valorizamos muito parcerias como essa. Sempre buscamos como parceiros instituições que possuam estrutura capaz de atender um bom volume de condomínios para boas e consistentes ações. Além de contribuir com uma causa social e de mobilidade muito relevante, ainda ajudamos os síndicos na organização de espaços muitas vezes pouco valorizados nos condomínios”, afirma Julio Paim, CEO do SíndicoNet.

aromeiazero
Foto: Instituto Aromeiazero

Os interessados em colaborar com a “Bike Parada Não Rola” também poderão entregar suas magrelas ou peças e acessórios no CDC Arena Radical, Centro Esportivo Comunitário no bairro paulistano da Vila Olímpia, localizado na Praça Augusto Rademarker Grunewald, nº37, das 14h às 18h.  Para isso, será preciso fazer um agendamento prévio no formulário do Aromeiazero, disponível no portal SíndicoNet. Para maiores informações, entre em contato pelo email: [email protected] 

Aromeiazero 

O Instituto Aromeiazero é uma organização sem fins lucrativos que utiliza a bicicleta para reduzir as desigualdades sociais e contribuir para tornar as cidades mais resilientes. O Aromeiazero conta com o patrocínio institucional do Itaú Unibanco e da Argo Seguros, além de leis de incentivo, sendo grande parte das ações em periferias e comunidades vulneráveis.

Desde 2011, as iniciativas do Aro promovem uma visão integral da bicicleta, potencializando expressões culturais e artísticas, geração de renda e hábitos de vida saudáveis. Para maiores informações, acesse.