A bicicleta vem ganhando espaço no Brasil nos últimos anos. Pesquisadores acadêmicos, instituições públicas, organismos de consultoria, canais de comunicação e organizações da sociedade civil, ligados direta ou indiretamente ao tema, realizam pesquisas, produzem vídeos e podcasts, redigem artigos técnicos e científicos, elaboram manuais e metodologias para compartilhar as vantagens e a importância deste modal.

Mesmo assim, as políticas públicas e a efetiva inclusão da ciclomobilidade são tímidas e descontínuas. Além disso, grande parte da população não conhece os dados e indicadores sobre este meio de transporte e, quando divulgadas, estas informações são dispersas.

Para melhorar este cenário, a UCB – União de Ciclistas do Brasil lançou o Observatório da Bicicleta, um site que tem como objetivo se tornar uma plataforma de informações em ciclomobilidade, reunindo, disponibilizando e indicando fontes de conhecimento de todos os tipos sobre a cultura da bicicleta.

Arquitetura colaborativa

Isto será facilitado pela arquitetura colaborativa do portal. “É de extrema importância que o Observatório esteja aberto para receber materiais de todos os usuários, porque assim ele será alimentado por quem está produzindo informações e realmente defendendo a bicicleta”, explica Ana Carboni, diretora presidente da UCB.

André Soares, coordenador do site, reforça que a plataforma deve contribuir para o desenvolvimento de estudos e divulgação de materiais sobre a bicicleta e promover a sua inclusão efetiva no sistema de mobilidade urbana. Como exemplo, André cita a seção de boas práticas do cicloativismo.

Próximos passos

O Observatório da Bicicleta concentrará as informações de monitoramento público que hoje são praticadas pela UCB na esfera nacional: das políticas públicas desenvolvidas (e faltantes) pelo poder executivo, das matérias legislativas em trâmite no poder legislativo e das jurisprudências advindas do poder judiciário – o objetivo é estimular e assessorar organizações locais a realizarem o mesmo monitoramento em suas localidades.

A primeira versão do portal do Observatório já está no ar, dividida em seções, com um conteúdo básico, mas representativo da variedade de temáticas que a bicicleta articula. Uma nova versão está prevista para entrar no ar em seis meses e prevê a realização de pesquisas próprias e a expedição de petições ao poder público.