A tradicional escola de idiomas Aliaça Francesa anunciou o lançamento de sua primeira unidade construída de maneira sustentável. O prédio está localizado no bairro do Botafogo, Rio de Janeiro, e deve ser um marco para a rede educacional.

Chamada de “Alliance Verte”, a escola será inaugurada nesta quarta-feira (8), com a presença do secretário de estado de educação do Rio de Janeiro, Wilson Risolia Rodrigues; Thierry Lange, presidente da Aliança Francesa do Rio de Janeiro; e Yann Lorvo, delegado geral da Aliança Francesa do Brasil. A ministra francesa da francofonia Yamina Benguigui virá especialmente para a ocasião.

O edifício possui 847 m², três pavimentos e 12 metros de altura. A construção levou um ano para ser concluída e concreto, aço, madeira e plástico do prédio demolido foram usados no processo. O projeto atende à certificação ambiental AQUA, um selo 100% brasileiro, criado a partir do processo ambiental elaborado pela francesa HQE (Haute Qualité Environnementale), em parceria com a Fundação Vanzolin, a Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), e as organizações francesas Certivea, Qualitel e o Centre Scientifique et Technique du Bâtiment (CSTB), centro científico e técnico da construção civil referência na França.

“Hoje, na França, existem mais de 500 prédios habitacionais e escritórios certificados com o processo HQE; no Brasil, cerca de 30 construções atendem ao processo AQUA. São certificações de reconhecimento internacional compatíveis com o LEED, dos Estados Unidos, ou o inglês BREAM, entre os mais conhecidos”, justifica o delegado geral da Aliança Francesa do Brasil, Yann Lorvo.

Na prática, isso representa a utilização de piso do tipo vinílico, feito com produtos recicláveis; isolamento térmico de lã de garrafa PET; vidros duplos (para conforto acústico), com um vidro externo que oferece também proteção solar.

Um esforço foi feito para que todos os locais de atividades do prédio tenham acesso à luz natural, priorizando também a ventilação e racionando o uso do ar condicionado. A água da chuva será reaproveitada para o encanamento dos banheiros, a partir dos telhados cobertos com plantas. Também foram utilizados painéis fotovoltaicos com um sistema de iluminação de baixo consumo.

 

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.