Inicio Desenvolvimento Saiba qual é o segredo da Suécia para reaproveitar 99% do lixo

Desenvolvimento

Saiba qual é o segredo da Suécia para reaproveitar 99% do lixo

Mesmo que hoje a Suécia seja uma referência internacional em manejo dos resíduos, nem sempre foi assim.

29 de agosto de 2016 • Atualizado às 17 : 13
Saiba qual é o segredo da Suécia para reaproveitar 99% do lixo

O governo sueco tem planos de melhorar ainda mais o sistema, para que, em 2020 o país não envie mais nada aos aterros sanitários. | Foto: Nicola Sap de Mitri/Flickr

41.52K
0

Enquanto no Brasil mais da metade dos municípios não têm sequer aterros sanitários, na Suécia praticamente todo o lixo produzido tem uma destinação correta e o mais importante: valor comercial. Atualmente 99% dos resíduos produzidos pelos suecos é reaproveitado, o 1% que sobra vai para aterros sanitários.

Mesmo que hoje a Suécia seja uma referência internacional em manejo dos resíduos, nem sempre foi assim. Até a década de 70, o país era como mais da metade do mundo, com o lixo simplesmente enviado aos aterros, permanecendo durante centenas de anos liberando toxinas no solo e gases poluentes no ar. Em 1975, apenas 38% dos resíduos suecos eram reciclados.

A mudança começou nesta época, quando o país ganhou legislações mais duras e novos projetos industriais. Hoje, o grande segredo para tanta eficiência são as usinas de bioenergia, conhecidas como Waste-To-Energy (WTE), mas, o processo só é eficiente graças à participação e cuidado da própria população e dos empresários, responsáveis por separar os resíduos e dar a eles a destinação correta.

De acordo com o site Global Citizen, dos 4,4 milhões de toneladas de lixo doméstico produzidas na Suécia, 2,2 milhões são transformados em energia. As usinas recebem o lixo e queimam esses resíduos para gerar vapor, que é usado para girar turbinas e produzir energia elétrica. O processo gera calor, eletricidade, biogás e biofertilizante.

Assim como determina a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), que ainda não é totalmente colocada em prática no Brasil, as empresas suecas são responsáveis pela logística reversa dos resíduos gerados por seus produtos. São os empresários também que arcam com os custos da manipulação desse lixo, bem como a reciclagem ou eliminação dos materiais.

O governo sueco tem planos de melhorar ainda mais o sistema, para que, em 2020 o país não envie mais nada aos aterros sanitários. A eficiência atual já é tão grande, que as usinas chegam a importar 800 mil toneladas de resíduos dos países vizinhos para garantir a produção de energia.

O processo usado nas WTE não é totalmente limpo, pois acaba gerando gases poluentes, mesmo que em quantidades menores do que em lixões. Mas, novas tecnologias estão em desenvolvimento constante para torná-lo ainda mais sustentável.

Redação CicloVivo

 

 

(41523)

logo
Fechar
Abrir
logo