Inicio Negócios Oficina capta água da chuva e recicla produtos químicos utilizados em automóveis

Negócios

Oficina capta água da chuva e recicla produtos químicos utilizados em automóveis

Centro automotivo instalado em São Paulo promove várias ações de sustentabilidade entre seus clientes e funcionários.

31 de outubro de 2013 • Atualizado às 08 : 30
Oficina capta água da chuva e recicla produtos químicos utilizados em automóveis

2.93K
0

Levar práticas sustentáveis para uma oficina automotiva com mais de dez anos de existência é o grande desafio para o empresário Adalberto Gonçalves, proprietário da Damy Auto Center, construída em São Paulo. O espaço conta com um piso especial que impede que os resíduos da oficina contaminem o solo, e, além disso, os materiais utilizados para a manutenção dos carros – como óleos, produtos químicos e tecidos – são todos reciclados após o uso.

As primeiras mudanças no centro automotivo foram provocadas após um questionamento levantado pela filha do proprietário, na época, com apenas três anos. A pequena perguntou a Adalberto quais as medidas que a empresa tomava  para não poluir o meio ambiente, e, com a orientação de especialistas da Universidade Sonora do México, o paulistano deu início às transformações na oficina, que também incluem o bem estar dos funcionários.

Os produtos químicos utilizados na oficina, como óleos e até o tíner, são enviados para a reciclagem depois de serem armazenados em locais adequados. “O material é enviado a empresas autorizadas que fazem o recolhimento e descarte dos resíduos, conforme a legislação ambiental. Há uma empresa parceira para cada um destes processos”, conta o dono da oficina, que também oferece a seus clientes cabines de repintura, as quais evitam que as partículas se espalhem pelo ar durante este trabalho.

“Investimos em uma série de mudanças, como a captação da água de chuva e a implantação de telhas translúcidas para aproveitar a luz solar e não gastar tanta energia”, diz Gonçalves. Com metas de economia de recursos e reciclagem de materiais, os impactos positivos ficam evidentes não só para o planeta, mas também, em seu bolso. “As contas de água e luz baixaram”, diz. Por outro lado, são necessários investimentos para as ações de mitigação dos impactos causados no meio ambiente. “Aumentaram custos da empresa com descarte de resíduos, temos mais tipos de filtros para limpeza do ambiente etc.”, comenta o empresário.

Os motoristas que visitarem a oficina, situada na zona sul da capital paulista, precisam desembolsar um pouco mais de dinheiro para fazer reparos ecologicamente corretos. “Os custos dos processos acabam ficando mais caros dentro da cadeia produtiva, mas o cliente se transforma num colaborador para um planeta melhor”, defende o empresário.

Além das iniciativas em nome do meio ambiente, a Damy Auto Peças também desenvolve ações de cidadania por meio da valorização de seus funcionários. Uma vez por semana, os colaboradores da oficina recebem a visita de um massagista do Projeto Serenidade do Toque, ONG criada em 2006, que visa a capacitação e a formação de jovens e adultos com deficiência visual na área de massagem para a inclusão no mercado de trabalho.

Embora a Damy Auto Center ainda seja uma das primeiras a se apropriar de práticas sustentáveis, Gonçalves destaca que sua maior vontade é aprimorar o empreendimento e ver mais iniciativas em sustentebilidade entre as oficinas. “Sustentabilidade não é um projeto que tem  início, meio e fim. É um processo contínuo de aprendizado e conscientização de todos ao seu entorno. Gostaria muito que nosso modelo ajudasse centros automotivos que despertassem para a sustentabilidade a criar seus próprios projetos. Eu já fiz a minha parte”, finaliza o empresário.

Por Gabriel Felix – Redação CicloVivo

(2931)

logo
Fechar
Abrir
logo