Você sabia que antes de calçar o bebê, colocar aquele tênis colorido em seus lindos pezinhos, a criança precisa sentir e conhecer o mundo pela sola dos pés?

Antes de ouvir Bach, Vivaldi, Mozart, ou quaisquer compositores de música, a criança precisa escutar a voz humana, as canções de ninar entoadas pela mãe, pai, avós. A voz humana propicia calma e confiança à criança.

Antes de ler histórias de belos livros ilustrados, a criança tem necessidade de ouvir os pais contarem suas memórias de infância – como brincavam, suas travessuras, etc. Além de contarem as histórias que ouviam de seus pais antes de irem para a cama quando meninos. Isto traz um sentimento de pertencimento, de raiz.

Antes de falar inglês ou qualquer outro idioma estrangeiro, a criança aprende a falar a língua materna ouvindo a voz doce da mãe e as conversas ao seu redor. A língua materna propicia segurança, conforto e também sentimento de pertencimento.

Antes de colocar a criança no judô, capoeira ou balé, role com ela no tapete da sala, girem, escorreguem, corram na grama do parque, na areia da praia, no quintal, em movimentos livres e espontâneos.

Antes de levá-la para comer fora de casa, leve-a para a cozinha e juntos façam uma refeição caseira, gostosa. Ela poderá te ajudar a descascar, lavar, misturar, amassar e poderá sentir o delicioso aroma dos temperos enquanto a comida está sendo preparada. A cozinha é o lugar de aprendizado da vida social. É um espaço de partilhas e trocas.

Antes de oferecer à criança a imagem pronta das telas, ou o brinquedo industrializado, permita que ela imagine, crie, construa suas brincadeiras, desenhe suas histórias.

Antes de dar de presente um brinquedo eletrônico caro, compre umas varetas de bambu e algumas folhas coloridas de papel de seda e faça com ela uma pipa para empinar na rua de casa, ou no parque.

Antes de planejar uma viagem distante, programe pequenos passeios ao ar livre, pelo bairro, para conhecer parques e praças do entorno, apropriando-se dos espaços públicos, estimulando o espírito comunitário e o contato com a natureza.

Antes do movimento preciso e delicado das mãos para pegar no lápis e escrever, a criança precisa movimentar o corpo inteiro – pular num pé só, pular corda, amarelinha, virar cambalhota, subir em árvore. E precisa de você ao lado para incentivar, dizer que ela é capaz.

Será pouco provável que na fase adulta uma pessoa se lembre do tablet que ganhou no Dia das Crianças, pois ao longo da vida ela irá adquirir e trocar de aparelho inúmeras vezes. Mas sem dúvida, se lembrará da pipa colorida rasgando o céu azul, da força do vento na linha do carretel em suas mãos e de você ao seu lado ensinando as manobras necessárias para a pipa voar longe.

Dê prioridade ao que é natural, simples, pequeno, o que está próximo. Valorize o que realmente importa na vida para a promoção do bem estar e saúde da infância.