Crianças devem passar pelo menos uma hora por dia em contato com a natureza. É isso que defende a organização britânica Wildlife Trusts, que está em contato com o governo britânico para que eles incorporem atividades na natureza no currículo escolar.

O pedido tem como base um estudo publicado no início de novembro na Universidade de Londres. A pesquisa envolveu 451 crianças entre 8 e  9 anos que foram entrevistadas antes e depois de participarem de atividades na natureza conduzidas pela equipe da Wildlife Trusts, como identificação de plantas e estudos sobre a vida selvagem.

Além de apresentaram um aumento significativo em seu bem-estar e saúde, as crianças mostraram altos níveis de satisfação e sentimento de integração com o mundo à sua volta. O índice das crianças que declararam ter aprendido algo novo sobre a natureza chegou a 90%; 79% disseram que a experiência poderia ajudá-los em trabalhos escolares e 81% disseram que a relação com os professores melhorou.

Mas, o mais importante, é que 79% disseram se sentir mais confiantes depois das atividades e 84% declararam que se sentiam capazes de fazer as coisas que tentassem. “Em um mundo onde vemos tanta falta de autoconfiança e resiliência, estes índices são muito importantes”, explica o diretor de estratégias da Wildlife Trusts, Nigel Doar.

O que o contato com a natureza traz

“Este estudo mostrou que a experiencia das crianças com a natureza traz benefícios profundos e diversos. A natureza melhora o bem-estar das crianças, sua motivação e autoconfiança. Os dados ainda apontam para uma melhor relacão com professors e colegas enre crianças em contato com a natureza”, finaliza Nigel.

Infelizmente, muitos pais não conseguem proporcionar aos filhos estes momentos de interação com a natureza, que têm diminuído significativamente ao longo dos anos. Uma outra pesquisa, realizada em 2011, mostrou que menos de 1 em cada 10 crianças britânicas tinha acesso à áreas verdes – este percentual era de 40% entre os adultos, na sua infância. 

Segundo o jornal The Guardian, apenas metade das crianças declararam que suas escolas têm áreas externas verdes e a maioria disse nunca terem vistos girinos, por exemplo. 

Por isso, os pesquisadores pedem ao governo que inclua uma hora por dia na natureza para as crianças. “As escolas são pressionadas a oferecer diversas atividades, mas seria muito positivo que esta alteração fosse prioridade”, declarou oMichael Reiss, do Instituto de Educacão. Segundo ele, o contato com a natureza vem diminuendo a cada geração, e “temos um compromisso com as nossas crianças de reverter esta tendência”.

Diversos estudos comprovam os benefícios do contato com a natureza para o desenvolvimento de crianças e adolescentes. Ana Lúcia Machado, do blog Educando Tudo Muda, listou, em artigo publicado no CicloVivo, 36 motivos para conectar crianças com a natureza.