- Publicidade -

A tartaruga-de-couro, resgatada na última semana no litoral santista, em São Paulo, foi devolvida ao mar na última sexta-feira (25). O animal foi encontrado por pescadores e apresentava problemas intestinais, por isso permaneceu em tratamento no aquário da cidade por uma semana.

Os pescadores responsáveis pelo salvamento descobriram que a tartaruga tinha problemas ao perceberem que ela nadava em posição inclinada. Segundo a veterinária que acompanhou a operação de resgate, Cristiana Lassálvia, “Quando um animal não consegue se alinhar é sinal de problemas de saúde”.

Desde que chegou ao aquário a tartaruga-gigante recebeu tratamento para que pudesse retomar as condições físicas adequadas e voltasse ao seu habitat natural. Segundo os biólogos envolvidos nesse cuidado, o animal apresentava problemas intestinais, por isso precisou ser tratado com soro, estimulantes e antibióticos.

- Publicidade -

A tartaruga-gigante, como é conhecida, é a maior espécie que existe e está em extinção. Ela pode viver até 300 anos e pesar centenas de quilos. O animal encontrado em São Paulo, por exemplo, mede 1,8 metro, pesa 400 kg e tem entre 60 e 90 anos. Já foi registrado um caso de uma tartaruga desse tipo com três metros de comprimento e 900 kg.

A situação física da tartaruga encontrada em Santos ainda não está totalmente recuperada. No entanto, os biólogos se preocuparam com o retorno rápido dela ao mar por causa de sua alimentação, que é composta somente por águas-vivas. O trabalho de devolução do animal ao seu ambiente natural aconteceu na última sexta-feira (25). Com informações da Folha e do G1.

Redação CicloVivo

Siga as últimas notícias do CicloVivo no Twitter

- Publicidade -