- Publicidade -
Foto: Florida Sea Grant / Flickr

Um novo estudo holandês constatou pela primeira vez a presença de microplásticos na carne, sangue e produtos lácteos de animais de fazendas. A pesquisa, realizada pela Universidade Vrije de Amsterdã (VUA), avaliou vacas e porcos de fazendas exclusivamente holandesas.

- Publicidade -

O resultado foi alarmante: em quase 80% da carne e produtos lácteos testados pelos cientistas foram detectados microplásticos. A possível causa pode ser a ração de vacas e porcos, já que todas as amostras de ração granulada e ração triturada coletadas nas fazendas continham o material.

O estudo, encomendado pela Plastic Soup Foundation, ainda revelou que sete das oito amostras de carne bovina testadas continham partículas de plástico, enquanto cinco das oito amostras de carne suína continham pelo menos um tipo de plástico. O polímero também foi encontrado em 72% das amostras de leite coletadas.

Os mesmos pesquisadores também já haviam detectado em março deste ano a presença de microplástico no sangue humano pela primeira vez. Eles utilizaram a mesma metodologia para testar os produtos de origem animal. A descoberta das partículas no sangue mostra que elas podem viajar pelo corpo e se alojar em órgãos.

“Este estudo levanta sérias preocupações sobre a contaminação de nossa cadeia alimentar com microplásticos”, diz Maria Westerbos, diretora da Plastic Soup Foundation. “Parece que – pelo menos parte dos – antigos produtos alimentícios, inclusive de supermercados, são transformados em ração animal com embalagem e tudo. Isso não é apenas prejudicial para o bem-estar animal, mas talvez também para nós mesmos. Muito provavelmente, quase todos os bifes e hambúrgueres contêm pequenos pedaços de plástico”, acrescenta.

- Publicidade -
Foto tirada pelo agricultor Alex Rock de alguns dos pellets de ração animal
Foto tirada pelo agricultor norte-americano Alex Rock mostrando a ração contaminada por plástico. | Crédito: Andrew Rock

Impacto na saúde

O impacto na saúde humana ou de animais de fazenda ainda é desconhecido, porém os pesquisadores estão preocupados, já que os microplásticos causam danos às células humanas em laboratório e as partículas de poluição do ar já são conhecidas por entrar no corpo e causar milhões de mortes precoces por ano.

O microplástico já foi detectado também no pulmão humano, em frutas e vegetais, no sal e na água que consumimos.

“Com os microplásticos presentes na alimentação do gado, não é surpreendente que uma clara maioria dos produtos de carne e laticínios testados contenham microplásticos. Precisamos urgentemente livrar o mundo do plástico na alimentação animal para proteger a saúde do gado e dos seres humanos”, enfatiza Maria Westerbos.

- Publicidade -

O relatório completo pode ser encontrado aqui.