- Publicidade -

Cientistas que integram o Programa Internacional sobre o Estado dos Oceanos (IPSO, da sigla em inglês) realizaram um estudo que mostra os perigos a que os ecossistemas marinhos estão expostos.

Segundo a pesquisa, é possível que os oceanos passem por um processo de extinção como nunca foi visto anteriormente. Os cientistas acreditam que grande parte dos itens que ameaçam as espécies marinhas estão relacionados à atividade humana.

Pesca excessiva, poluição e mudanças climáticas são alguns fatores que entraram na lista e que, segundo os pesquisadores especializados, fizeram com que a situação dos oceanos chegasse a níveis inimagináveis. “As conclusões são chocantes. Estamos vendo mudanças que estão acontecendo mais rápido do que estávamos esperando e de formas que não esperávamos que fossem acontecer por centenas de anos”, explicou Alex Rogers, diretor científico do IPSO, à BBC.

- Publicidade -

O derretimento de importantes blocos de gelo na Antártida, Groenlândia e Ártico colaboraram para o aumento do nível do mar e da liberação de metano na água. O plástico, também é um dos grandes vilões. Pois, além de causar a morte de muitos animais, suas partículas atraem outros poluentes, que permanecem nos oceanos por anos, e algas tóxicas.

Essa poluição, juntamente com o aquecimento global, afeta os recifes de corais. A ameaça é tão séria que atualmente 75% dos corais em todo o mundo estão classificados como estando em risco.

Os especialistas apontam algumas medidas imediatas que podem minimizar os impactos da humanidade nos oceanos, são elas: fim da pesca predatória e mapear e reduzir a quantidade de poluentes e também as emissões de gases de efeito estufa. Atualmente, segundo a pesquisa, os níveis de CO2 nos oceanos já superam os níveis que ocasionaram a primeira extinção em massa de espécies marinhas, há 55 milhões de anos. Com informações do G1.

Redação CicloVivo

Siga as últimas notícias do CicloVivo no Twitter

- Publicidade -