- Publicidade -

A população mundial de pinguins está diminuindo. Este foi o resultado de um estudo divulgado nesta semana pela revista americana Science News. Conforme especificado na publicação, as principais causas são as mudanças climáticas, a pesca proibida e a poluição do mar.

Os pinguins são aves não voadoras, que habitam principalmente a Antártida e outras regiões polares. Porém, existem espécies que vivem nos trópicos, por exemplo, na Ilha da Galápagos. São, justamente, essas espécies que correm maior risco de extinção. Por causa do fenômeno El Niño muitos peixes não conseguem mudar de região e não chegam às áreas habitadas pelos pinguins, que acabam morrendo de fome.

A pesquisa mostra que as espécies da Ilha de Galápagos podem ser extintos ainda neste século. Os pinguins que habitam o continente africano também foram classificados como ameaçados de extinção.

- Publicidade -

O aquecimento global também colabora para a redução das geleiras, fator que dificulta muito a sobrevivência dos animais que habitam as regiões polares. Outro problema causado pela ação humana é o derramamento de óleo nas embarcações, que contaminam e levam à morte muitos animais.

Durante o mês de julho o litoral de São Paulo pôde presenciar e confirmar o extermínio de muitos pinguins. A Praia Grande, no litoral sul do estado, foi o destino de 540 pinguins mortos ou muito debilitados. O mesmo aconteceu em praias de Santa Catarina e voltou a acontecer em São Paulo, na última semana, quando a guarda costeira retirou mais 50 pinguins da região.

Com informações do Terra e do G1

- Publicidade -