As autoridade da maior cidade da China, Xangai, anunciaram um projeto de reciclagem do óleo de cozinha. O resíduo será transformado em biocombustível para abastecer ônibus, táxis e caminhões que circulam diariamente pela metrópole.

A alternativa foi discutida com o intuito de resolver dois problemas de uma só vez. O biocombustível tem impactos ambientais reduzidos, em relação a outros combustíveis fósseis, e essa também é uma maneira de impedir que o óleo velho seja reaproveitado por restaurantes.

De acordo com o Comitê Municipal de Segurança Alimentar de Xangai, conforme divulgado pela imprensa local, a Universidade de Tongji, juntamente com seis empresas especializadas, será responsável pela manufatura do óleo até que ele se transforme em biocombustível.

Esta opção foi alvo de estudos e pesquisas durante os últimos três anos. Agora os cientistas que trabalham no projeto acreditam que seja a melhor hora para colocá-lo em prática. Por ser mais caro que os combustíveis tradicionais, o governo garante que haverá incentivos para quem optar pelo biocombustível.

Desde março deste ano, Xangai possui uma regulamentação sobre o descarte adequado de resíduos de óleo. Isso possibilitou um aumento no controle sobre a destinação e também elevou a reciclagem do material, que hoje chega a 90%. A novidade deverá tornar este mercado mais lucrativo e ainda deve ajudar a inovar o sistema de transporta da cidade chinesa. Com informações do China Daily.

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.