Green Mining apoia Cataki na busca por renda justa a catadores

Com parceria, catadores e catadoras do Cataki vendem seus recicláveis pelo mesmo preço pagos em usinas de reciclagem

cataki green mining
Foto: Fernanda Beatriz

Dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) revelam que os catadores e catadoras são responsáveis por quase 90% do lixo reciclado no Brasil. Porém, apesar de protagonizarem a etapa mais importante e exaustiva da cadeia da reciclagem, são quem menos recebe por isso.

Diante desse cenário, o Cataki, que já vem há anos combatendo esse paradoxo, e a Green Mining, que também tem projetos de reciclagem inclusiva, se uniram para democratizar o acesso ao valor real de resíduos para qualquer pessoa, principalmente aqueles que dependem da venda dos recicláveis para o seu sustento, como os catadores e carroceiros.

A parceria possibilita que catadores e catadoras cadastrados no Cataki, localizem no aplicativo a Estação Preço de Fábrica mais próxima para realizar a venda dos resíduos pelos mesmos valores pagos nas usinas de reciclagem. Os profissionais, que são incentivados a receber remuneração por realizar a coleta dos consumidores que solicitam agendamento e retirada dos resíduos, contam agora com unidades da Green Mining em Minas Gerais, Tocantins, Bahia, além de outras três em São Paulo, para a entrega dos resíduos.

“Agora, para além dos nossos canais de comunicação, as catadoras e catadores podem encontrar no mapa do aplicativo Cataki os pontos da Estação Preço de Fábrica com todas as informações necessárias e possibilidade de venda de material por um preço melhor do que estão acostumados. Estamos unindo atores que têm como objetivo promover uma remuneração mais justa e aumento de renda aos catadores”, explica Patricia Rosa, coordenadora do Cataki.

Green Mining Cataki
Ricardo Luís Durans, funcionário Green Mining, e Edson Cardoso, catador Cataki, durante o processo de recebimento e compra das embalagens pós-consumo. Foto: Fernanda Beatriz

Após o recebimento, a Green Mining otimiza todo o processo de transporte, garantindo a destinação correta dos materiais, em uma parceria que une todos os elos: o gerador, o catador e a usina de reciclagem. Os materiais são entregues na Estação Preço de Fábrica e encaminhamos diretamente para usinas.

“A parceria com o Cataki possibilita a melhor remuneração que o catador pode ter porque ele recebe por prestar o serviço de coleta de quem gera e tem uma remuneração digna ao vender na Estação. Certamente, um maior valor agregado pelo serviço”, garante Para Rodrigo Oliveira, CEO da Green Mining.

Cataki

Lançado em 2017 para conectar os atores sociais do ecossistema da reciclagem (geradores, catadoras e catadores informais, ferros-velhos, cooperativas), o Cataki promove a economia circular e a logística reversa com protagonismo e remuneração justa.

Atualmente o aplicativo possui cerca de 5 mil catadoras e catadores cadastrados e 48 mil usuários. Já o projeto Estação Preço de Fábrica, lançado em 2022 pela Green Mining, remunerou, até o momento, 2,3 mil pessoas, totalizando o valor de R$ 2,3 milhão.

cataki e green mining
Ricardo Luís Durans, da Green Mining, David Max André, do Cataki, Leon Augusto Vicente, da Green Mining, e Edson Cardoso, do Cataki, na unidade Estação Preço de Fábrica de Pinheiros. Foto: Fernanda Beatriz

Green Mining

A Green Mining é uma startup pioneira em logística reversa inteligente e uma das selecionadas, em todo o mundo, pela cervejaria Ambev por meio do programa 100+ Accelerator. Desde 2018, já coletou e encaminhou para reciclagem mais de 7,9 milhões de quilos de embalagens pós-consumo e evitou a emissão de 1,3 milhão de quilos de CO₂.

Integrante do grupo de empresas do Pacto Global da ONU, maior iniciativa de sustentabilidade corporativa do mundo, participou da COP26 e do World Economic Forum 2023, em Davos, apresentando seus projetos e soluções de rastreabilidade com tecnologia blockchain.

Desde que foi fundada, a Green Mining já recebeu uma série de premiações e reconhecimento por sua atuação:  Vencedora do ‘Better World Award’, realizado na Bélgica; da competição mundial de Ideias de Negócios Verdes da Climate Ventures e da 1ª edição brasileira do evento europeu Greentech Challenge. Por três anos consecutivos, a startup foi premiada no Ranking 100 Open Startups, entrando para o TOP 10 na categoria CleanTechs em 2021 e CityTechs em 2022 e 2023. Além de ser ganhadora do prêmio inglês Latam Edge Awards em 2022 e o Green and Digital Startup Award da Câmara Brasil-Alemanha na categoria Economia Circular.

Para saber mais, clique  AQUI.

contêiner recicláveis pix
Estação que troca recicláveis por dinheiro, um dos projetos da Green Mining. Foto: Divulgação