Em plena véspera de Natal, o governo da França publicou um decreto que marca o início da proibição do uso de plásticos descartáveis. A lei, que quase passou despercebida, já entrou em vigor no dia 1o de janeiro.

Nesta primeira fase três produtos plásticos descartáveis foram proibidos: pratos, copos e cotonetes. A partir de 2021 serão banidos também canudos e talheres. A meta é eliminar gradualmente todos os plásticos de uso único até 2040.

A lei, é claro, passa por um período de adaptação. As lojas que transportam os descartáveis – agora proibidos – ainda poderão vendê-los pelos próximos seis meses, desde que os mesmos tenham sido produzidos ou importados anteriormente. O decreto também isenta alguns setores até julho de 2021, tais como instalações sanitárias e no uso em transportes como trens e aviões. Produtos compostáveis, com ao menos 50% de materiais orgânicos em sua constituição, também terão isenção temporária.

Além do objetivo de retirar de circulação todos os plásticos descartáveis nas próximas duas décadas, a França tem como objetivo reciclar 100% dos plásticos até 2025. Os planos vão ao encontro das novas diretrizes propostas pela União Europeia e o caminho que segue as maiores economias do mundo. Até mesmo a China, maior produtor de plástico, anunciou que vai eliminar os descartáveis.

Leia também: Plásticos de uso único serão proibidos em São Paulo.